Mais Opinião

Paulo Baldaia
Paulo Baldaia

Revogável e irrevogável

A mais grave crise política deste governo não chega a ser tão grave como foi a crise da demissão irrevogável de Paulo Portas no governo da coligação. O epicentro do terramoto político foi nas duas vezes a pasta das Finanças, desta vez por causa de uma decisão de Mário Centeno, em 2013 por causa da escolha de Maria Luís Albuquerque para ministra. São de intensidade bem diferente, mas cada uma delas representa, pelo menos até agora, o momento mais difícil para cada um dos governos. Neste momento, interessa-me olhar para o papel do primeiro-ministro e do Presidente da República, que foi crucial, mas que em cada uma dessas crises revelou comportamentos antagónicos dos titulares destes cargos políticos.

Inês Cardoso
Inês Cardoso

Uma falha de comunicação de 850 milhões

Quando o mais recente episódio da interminável (e cara) novela do Novo Banco já dava pano para mangas, Mário Centeno veio acrescentar motivos adicionais de incredulidade, confirmando a confusão política e a total contradição com o discurso do primeiro-ministro. Não se pode invocar uma simples "falha de comunicação" sobre a transferência de 850 milhões de euros. O ponto é outro: como é possível que por duas vezes António Costa se tenha escudado, perante o Parlamento, na auditoria ainda em curso, assegurando que não haveria transferência de verbas do Estado antes de ser finalizada, sem que o ministro das Finanças o tenha alertado de que, afinal, tal não seria possível?

Desconfinamento educativo
Filinto Lima

Desconfinamento educativo

O plano aprovado no Conselho de Ministros de 30 de abril define a estratégia e as medidas de desconfinamento no âmbito do combate à pandemia Covid-19. Relativamente à Educação, esta semana, o primeiro-ministro validará a abertura das escolas do ensino secundário para os alunos do 11.º e 12.º anos de escolaridade e do 2.º e 3.º anos dos Cursos de Dupla Certificação. As medidas, pensadas e ajustadas ao momento, afiguram-se sensatas, tendo sido escalpelizadas, merecendo os necessários esclarecimentos.

Paulo Baldaia
Paulo Baldaia

Não enfiem a cabeça na areia

Não há margem para dúvidas, a proposta de criar um plano de confinamento especifico para a comunidade cigana é racista e, por isso mesmo, inconstitucional. Ainda assim, o deputado de extrema-direita fez manchete num jornal e essa manchete foi mostrada por todos os canais de notícias na televisão a vários milhões de portugueses. Uma pesquisa nos motores de busca revela que praticamente todos órgãos de comunicação social, repito, praticamente todos os órgãos de comunicação social deram a notícia do plano do deputado de extrema-direita.

Anselmo Crespo
Anselmo Crespo

O vírus que já transfigurou 150 vezes

Boa tarde. Os cientistas já descobriram mais de uma centena e meia de mutações do vírus que nos mudou as vidas. E Portugal vai ficar, brevemente, a saber qual o nível de imunidade dos portugueses. As regras para a reabertura das escolas já estão definidas, mas há quem as considere absurdas. E, pela primeira vez, disparou o número de casos de infetados que conseguiram recuperar da Covid-19. Vamos aos números que marcam esta quarta-feira.

Inês Cardoso
Inês Cardoso

Dos ziguezagues na comunicação à informação falsa

Comunicar é uma missão de particular responsabilidade em tempos de pandemia. É preciso alertar para todos os riscos, sem excesso de pormenores técnicos ou detalhes suscetíveis de causar pânico. Há que esclarecer e dar confiança quando é preciso retomar rotinas, sem deixar que as pessoas baixem a guarda. Sabendo, além do mais, que a mesma mensagem é apreendida de forma diferente pelas pessoas, consoante os seus próprios temperamentos e medos, e portanto nunca há uma dose certa ou exata para o peso que se carrega em cada frase.