Rui Rio é só uma brincadeira?

Daniel Oliveira dedica a crónica desta semana ao tweet que Rui Rio fez sobre a notícia de que António Costa iria votar antecipadamente no Porto, dia 23, e defende que "um tweet é só um tweet", mas acaba por ser revelador do perfil de quem o escreve.

"Neste caso, de um homem que parece ter como principal qualidade ser medianamente semelhante com qualquer pessoa que não pensasse concorrer ao cargo de primeiro-ministro. Essa mediania, que noutro tempo o tornaria inapto para o lugar, é considerada por alguns uma coisa extraordinária, mas como se tem visto por todos os estudos de opinião, a única qualidade que os portugueses atribuem a Rio é mesmo a franqueza. Não é a competência, o conhecimento ou a preparação", explica.

Para o jornalista, esta "tentativa de humor" do líder do PSD só contribuiu para criar uma confusão maior à volta do volto antecipado.

"A mobilização para o voto antecipado é muitíssimo importante. A pessoa que vote antecipadamente é menos uma pessoa que corre o risco de deixar de votar porque se infetou depois e que alivia a pressão no dia 30. Se se infetar entretanto sobra-lhe a possibilidade de votar no dia 30", esclarece Daniel Oliveira.

Neste habitual espaço de Opinião na TSF, Daniel Oliveira considera que "António Costa faz bem em dar o exemplo". Exemplo esse que devia ser seguido pelos restantes líderes políticos para reduzir o risco de uma forte abstenção e refere também que o voto antecipado se pode fazer em mobilidade, em qualquer município, que depois o voto será reencaminhado para a mesa correspondente a esse eleitor.

"Esperava-se que Rui Rio, sendo concorrente a essas eleições, soubesse isso mesmo e se empenhasse em divulgar essa informação que pode levar mais pessoas a votar", defende.

Eis o tweet que deixou Daniel Oliveira "baralhado":

Conhecedor do funcionamento do voto antecipado em mobilidade, o jornalista não percebeu o "sentido absurdo do comentário piadético", mas depois esforçou-se para entrar na cabeça de Rio e conseguiu compreender.

"Votando no Porto, Costa não votaria em si mesmo porque é candidato na lista de Lisboa. Há duas hipóteses e nenhuma é boa. A primeira é que a piada não seja completamente absurda. Rui Rio achava mesmo que, decidindo votar no Porto, Costa passava a votar para a lista desse distrito. Não tendo Rui Rio como completo irresponsável, mas sabendo-o geralmente pouco informado, inclino-me para ela", afirmou Daniel Oliveira.

É de opinião geral que a genuinidade é "a maior das qualidades de Rio". O que leva Daniel Oliveira a afirmar que pensam que "precisamos de um homem assim como primeiro-ministro". Alguém que "saiba menos do que o cidadão comum e nunca o tente disfarçar", mesmo que o assunto sejam as regras para as eleições a que o próprio concorre.

"Há, claro, a hipótese de Rui Rio saber que António Costa votará em si mesmo, na lista de deputados do PS ao círculo de Lisboa, mesmo que o faça na cidade do Porto, que é isso mesmo que quer dizer voto em mobilidade. Ele garante que sabia, que era só uma brincadeira", refere.

No entanto, o jornalista considera que, em vez de promover a informação para combater a abstenção, o líder do PSD apenas ajudou a "espalhar a confusão sobre as regras, que muita gente desconhece, só para fazer uma piada".

"O 'era só uma brincadeira' transformou-se numa espécie de salvo-conduto para disfarçar a ignorância ou espalhar a confusão sem ser confrontado com uma ou com outra coisa, mesmo quando vem de pessoas com responsabilidade política, que devem ser sabedoras do que falam e contribuir, com as suas intervenções, para o esclarecimento geral", destaca.

Um tweet que não passou de um "toca e foge piadético que espalha a confusão" e que costuma ser "especialidade de André Ventura", com quem Daniel Oliveira compara Rui Rio.

"Manda uma deputada para a terra dela e era só uma brincadeira, diz coisas sobre os ciganos e era só uma brincadeira, chama velho bêbedo a Jerónimo de Sousa e era só uma brincadeira. Curiosamente, também fez uma brincadeira sobre o voto de Costa no Porto", recorda.

O jornalista chega mesmo a afirmar que já não é só o apoio ao Governo dos Açores e o ódio aos aos beneficiários do Rendimento Social de Inserção que Rui Rio e André Ventura partilham. Agora é também o "humor falhado".

"Que espalha a desinformação sobre um tema em que todos os políticos se deviam empenhar para esclarecer os cidadãos. Como sempre, a diferença é que o que Ventura faz por má fé, Rui Rio faz por ignorância. A ignorância e a irresponsabilidade são traços importantes quando falamos de um candidato a primeiro-ministro, mesmo quando uma e outra sejam muito genuínas e mesmo que se esconda como uma brincadeira para quem sublinha estas duas características como um sisudo sem sentido de humor", acrescenta.

* Texto redigido por Cátia Carmo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de