Erros no currículo levam candidata à liderança da JS a alterar biografia

Candidatura admite erros nas notas biográficas e percurso curricular de Maria Begonha, mas fala em "gralhas".

A candidata à liderança da Juventude Socialista (JS) Maria Begonha reescreveu o seu currículo depois de o jornal Público ter esta terça-feira denunciado que várias informações biográficas não correspondiam à verdade.

Ao contrário do que escrevia no documento, publicado na página de candidatura , Maria Begonha nunca foi presidente da Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH) e deixou a meio o mestrado em Ciência Política que mencionava.

Além disso o ano de nascimento da candidata não estava correto - estava indicado 1990 em vez de de 1989.

Todos os dados foram entretanto alterados e na página pode ler-se uma nota que diz "atualizado em 23/10/2018 para correção de gralhas".

Ao Público, o diretor de campanha, Tiago Estêvão Martins, disse que as informações incorretas se tratavam de "gralhas com relevância diminuta", falando num eventual "erro na transposição" da informação para o site.

"O meu percurso pessoal e cívico sempre se pautou pelo rigor e pela verdade", escreveu depois Maria Begonha no Facebook, admitindo as várias informações incorretas:

O sucessor de Ivan Gonçalves na liderança da JS será escolhido no Congresso Nacional da Juventude Socialista, entre 14 e 16 de dezembro, cerca de um mês antes de Maria Begonha fazer os 30 anos, limite máximo para militar nos 'jotas'.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados