Bloco esclarece: "cartão de cidadania" só para os novos 

O Bloco de Esquerda defende uma mudança "gradual" e apenas "para quem solicita a emissão do cartão pela primeira vez ou o vai renovar".

Sandra Cunha, deputada do Bloco de Esquerda reconhece que mudar o nome do cartão de cidadão pode não ser tarefa fácil mas lembra que "essas alterações não são compulsivas, nem são imediatas, existem períodos transitórios".

A intenção é que "não se anule a validade dos cartões já existentes mas aqueles que são emitidos a partir da entrada em vigor da lei, passem a ter uma nova designação".

A deputada do Bloco propõe que todos os que "renovem o cartão" vejam também essa alteração efetuada. "Podem ser sempre encontradas soluções "sem custos adicionais", diz.

"O ministro-adjunto referiu, já por várias vezes, que este Governo considerava a igualdade de género como uma prioridade nacional, está na hora de mudar o nome de um documento que é usado para identificar as pessoas deste país, está mais do que na hora de mudar o nome para uma linguagem neutra", argumenta Sandra Cunha.

Questionada sobre a possibilidade desta proposta ir para a frente, a deputada do Bloco responde: "parece-me que todas as bancadas estão empenhadas na igualdade dos direitos entre homens e mulheres e em combater algum tipo de discriminação, mesmo que não seja intencional e por isso penso que não haveria razão para não ser bem acolhida".

"Não sei se essa alteração irá ou não a tempo ainda durante este ano mas tenho esperança que sim", confessa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de