CDS admite avançar com moção de censura ao Governo

Fonte do partido garante à TSF "não imaginar acontecimentos mais graves" do que a recente tragédia dos incêndios florestais e as posteriores declarações do primeiro-ministro.

O CDS deve apresentar uma moção censura ao Governo por causa dos incêndios. Fonte do partido, ouvida pela TSF, garante "não imaginar acontecimentos mais graves do que os que sucederam no país e as posteriores declarações de membros do Executivo, em particular do próprio António Costa e da ministra Constança Urbano de Sousa".

O CDS tinha agendado para quarta-feira uma reunião da comissão executiva do partido em Pedrógão Grande, para analisar os dois relatórios sobre os incêndios de junho, mas, tendo em conta o que sucedeu em vários distritos do centro do país, a direção centrista antecipou o encontro para esta terça-feira que se realiza em Lisboa.

Em cima da mesa estavam já a análise a questões como as indemnizações às vítimas e até a possibilidade da criação de uma comissão parlamentar de inquérito, mas, depois da tragédia dos incêndios ter voltado a fazer um número tão elevado de vítimas, o CDS pondera avançar com a moção de censura e essa será uma das medidas centrais a ser discutida pela direção do partido.

O CDS aguarda ainda ser recebido pelo Presidente da República e, se avançar, o anúncio da iniciativa deverá ser feito depois de ter sido dado conhecimento a Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta quarta-feira, realiza-se o debate quinzenal na Assembleia da República, com António Costa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de