Costa garante que Governo fez o que lhe compete em relação à CGD

Primeiro-ministro relembrou as indicações que foram dadas à direção do banco.

O primeiro-ministro reforça que o Governo não escondeu informações sobre a situação financeira da Caixa Geral de Depósitos. Em Mogadouro, António Costa relembrou os passos que foram dados
e as instruções passadas à administração do banco.

"Nós fazemos aquilo que nos compete. Ordenámos auditorias e os resultados das auditorias são agora conhecidos. Foram transmitidos a quem de direito: ao Banco de Portugal, ao Banco Central Europeu, ao Ministério Público. Se houve má gestão, quer o Banco de Portugal quer o Banco Central Europeu têm o dever de agir. Foram transmitidos ao Ministério Público pelo que, se houve responsabilidades criminais, deve agir. Demos instruções à Caixa Geral de Depósitos para, em função dos resultados da auditoria agir civilmente, se não houver responsabilidade criminal a ser apurada", lembrou o primeiro-ministro.

Esta sexta-feira, o presidente da CGD entregou ao parlamento o documento da auditoria à gestão do banco público feita pela EY. Segundo o documento, administradores da CGD receberam "remuneração variável" e "voto de confiança", mesmo em anos com resultados negativos.

Leia mais:

- Paulo Macedo já entregou auditoria à CGD no parlamento

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de