Curiosidades do novo Governo

Laços familiares, independentes e membros do aparelho socialista integram a lista de 41 secretários de Estado do governo de António Costa.

Ana Sofia Antunes, da ACAPO- da Associação dos Cegos e Amblíopes vai ser a primeira secretária de Estado para a Inclusão de Pessoas com Deficiência. E há uma Secretaria de Estado para a Internacionalização que será liderada por Jorge Oliveira.

José Luís Carneiro, conotado com a ala segurista vai ser secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

E na Modernização Administrativa prossegue a ascensão de Graça Fonseca - antiga vereadora de António Costa.

A equipa das Finanças dirigida por Mário Centeno vai ser composta por Ricardo Mourinho Félix (Secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças) , Rocha Andrade (Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais ) e João Leão (Secretário de Estado do Orçamento).

Dos 41 secretários de estado, 16 são mulheres.

A equipa da Justiça será totalmente feminina com Helena Mesquita Ribeiro (Secretária de Estado Adjunta e da Justiça) e Anabela Pedroso (Secretária de Estado da Justiça ) a trabalharem com a ministra Francisca Van Dunen.

Entre os regressos, o de Marcos Perestrelo (Secretário de Estado da Defesa) e o de José Apolinário (Secretário de Estado das Pescas).

Do parlamento para o governo seguem Isabel Oneto ( secretária de Estado da Administração Interna) e Catarina Marcelino (Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade).

João Vasconcelos até hoje diretor geral da Startup Lisboa, é o novo secretário de Estado da Indústria.

O novo Secretário de Estado da Administração Interna é Jorge Gomes, líder da Federação Socialista de Bragança.

A lista inclui nomes com laços familiares: Guilherme W. d'Oliveira Martins é filho do presidente cessante do Tribunal de Contas e vai ser Secretário de Estado das Infraestruturas; o secretário de Estado adjunto, do Tesouro e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix é primo de José Mourinho e Jorge Seguro é primo de António José Seguro, embora tenha estado discreto durante o combate interno.

Quase um quarto dos membros do atual Grupo Parlamentar do PS, 21 num total de 86, vai exercer funções de ministro ou de secretário de Estado.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de