Dez câmaras municipais deixam de ser comunistas

Com a contagem dos votos durante a madrugada, aquilo que o líder do PCP já tinha admitido ser uma derrota nestas eleições autárquicas aprofundou-se ainda mais.

Em 2013 a CDU tinha ganho 34 câmaras municipais - uma subida significativa em relação a 2009. Mas agora, em 2017, a coligação PCP-PEV conseguiu ter um resultado pior que em 2009, que já tinha sido baixo (28 câmaras comunistas).

Numa altura em que ainda falta conhecer os presidentes de cinco concelhos, a CDU perde dez dos 34 municípios que tinha e passa a ter apenas 24. A maioria das câmaras que deixaram mãos comunistas foram ganhas pelo PS.

Entre as derrotas da CDU estão câmaras históricas para o partido, que eram comunistas desde a primeira eleição autárquica democrática em 1976: Castro Verde no distrito de Beja e Almada na margem Sul do Tejo.

Alandroal (distrito de Évora), Alcochete e Barreiro (Setúbal), Barrancos, Moura e Beja, Constância (Santarém) foram outros dos municípios conquistados pelos socialistas à coligação que junta comunistas, ecologistas e independentes.

Em Peniche (Leiria), o vencedor foi o agora candidato independente, apoiado também pelo BE, Henrique Bertino, que era há mais de uma década presidente de junta de freguesia de Peniche, eleito pela CDU.

Nestas autárquicas, no total, a CDU não deverá chegar aos 10% dos votos nacionais e a coligação deve ficar com apenas 24 câmaras municipais para gerir.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de