"Governo não interfere em questões judiciais". A resposta ao presidente angolano

Em entrevista à TSF, a ministra da Justiça comentou o Processo Fitzz, que envolve o ex-vice-presidente angolano, Manuel Vicente.

A ministra da Justiça diz que o governo "tem a perceção da avaliação que o governo angolano faz do dossier" do Processo Fitzz e não ficou surpreendida com as declarações do presidente angolano, mas lembra que o executivo "não pode interferir em matérias que são do foro judicial".

Um dia depois de o presidente angolano, João Lourenço, ter afirmado que as relações entre Portugal e Angola vão depender do desfecho do caso Manuel Vicente e ter classificado a atitude da Justiça portuguesa como "uma ofensa" para Angola, Francisca Van Dunem explica que o governo está a acompanhar o processo "na dimensão política e diplomática", mas lembra que não pode haver qualquer interferência ao nível judicial.

"Este é um dossier judicial e é no espaço judicial que deve ser tratado", declarou a ministra.

VEJA TAMBÉM:
Governo não renova mandato de Procuradora-Geral da República

Combate à criminalidade económica não pode chocar com a Constituição

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados