Helena Sacadura Cabral: "o arquiteto Saraiva bolçou cá para fora"

É a primeira reação da mãe de Miguel e Paulo Portas ao livro de António José Saraiva. Helena Sacadura Cabral diz que a inteligência não é uma dádiva de todos. "A vida vai dar-lhe o troco".

Não é mulher de fugir a perguntas nem de se chocar com facilidade. Só diz que não perdoa ao antigo diretor do Expresso as citações que atribui a Miguel (morreu há quatro anos) sobre a orientação sexual do irmão Paulo, no livro "Eu e os políticos". "Cá se fazem cá se pagam", diz Helena Sacadura Cabral. E não, não é uma declaração de vingança. "A vida, não duvide, vai encarregar-se disso".

As críticas de Helena Sacadura Cabral a José António Saraiva

00:0000:00

Mulher de gargalhada fácil e ruidosa, Helena Sacadura Cabral continua a apreciar um bom charuto e um conhaque aquecido. Agora que o filho Paulo Portas abandonou a política, sentiu-se finalmente livre para partilhar "Memórias de uma vida consentida". Da infância aos cinquenta anos (idade em que tudo recomeçou para ela). Os amores, a rebeldia, os valores, os avós, os pais e os filhos, claro.

Miguel e Paulo. O coração de mãe diz-lhe que Paulo só caminhou pela direita porque Miguel já se tinha atravessado à esquerda. Paulo era o negociador, Miguel o contestatário e provocador. Os dois irmãos sempre se protegeram e apoiaram." Disfarça", diziam eles.

Helena Sacadura Cabral explica como o filho Paulo Portas optou pela direita

00:0000:00

A dor da partida de Miguel, há quatro anos, é algo que jamais se supera mas tem cumprido a promessa feita ao filho. Não ficar chorona e continuar a viver como sempre. Agora mais feliz porque Paulo abandonou a política. De vez? "Eu não ia aguentar se ele voltasse".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de