Inquérito à CGD abre com BdP, Centeno e administração da Caixa

PSD anunciou proposta para primeiras audições ainda antes da posse da Comissão Parlamentar de Inquérito à gestão da CGD. Ferro Rodrigues diz que a AR "não pode fechar os olhos nem cruzar os braços".

Ainda antes das férias parlamentares, até ao final de julho, o PSD quer ouvir o Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, o ministro das Finanças, Mário Centeno e o presidente executivo demissionário da CGD, José de Matos.

Ferro Rodrigues diz para não contarem com ele para atropelos à lei e à Constituição

00:0000:00

O anúncio foi feito, minutos antes da posse da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), pelo líder da bancada do PSD, Luís Montenegro, e depois retomado, por Hugo Soares, já na comissão.

A decisão final vai ser tomada na próxima quinta-feira, de manhã, na primeira reunião da CPI.

No momento da posse, Ferro Rodrigues, não deixou de lado uma referência ao atribulado processo de criação desta comissão, imposta pelo PSD, e que mereceu, num primeiro momento, dúvidas por parte do presidente do Parlamento.

"O Parlamento não pode fechar os olhos nem cruzar os braços. Superadas que foram as dúvidas constitucionais e legais sobre o âmbito de atuação desta CPI, estamos em condições de realizar um trabalho de qualidade, respeitador da separação de poderes, e que seja, ao mesmo tempo, rigoroso na avaliação dos ato de gestão que conduziram a mais esta mobilização, futura, de dinheiros públicos no sistema financeira. Nunca contem com este presidente para atropelos à lei à Constituição",sublinhou.

Ferro Rodrigues sublinhou ainda a importância da saúde financeira da Caixa Geral de Depósitos.

"A CGD, pela sua dimensão, pelo seu caráter público e nacional, é uma entidade absolutamente estratégica, sendo crítica para as famílias e as empresas portuguesas a sua saúda financeira", vincou Ferro Rodrigues, que falava na tomada de posse da comissão parlamentar de inquérito à Caixa disse o presidente da Assembleia da República.

José Matos Correia, do PSD, vai presidir aos trabalhos desta comissão de inquérito.

"Todos estamos conscientes da importância dos trabalhos de uma comissão de inquérito", sublinhou o deputado que vai ter como vice-presidentes na comissão de inquérito os deputados Paulo Trigo Pereira (PS) e Miguel Tiago (PCP).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de