Inquérito CGD parte 2: António Domingues e Centeno entre as primeiras audições

Além dos governantes e de António Domingues, o BE quer também ouvir o advogado que negociou condições para a contratação. PSD e CDS pedem "toda a documentação" sem referência a SMS.

Na reunião desta tarde, a comissão de inquérito decide quem vai ouvir primeiro e que documentação vai solicitar para apurar os contornos da nomeação e demissão de António Domingues, na Caixa Geral de Depósitos (CGD).

PSD e CDS querem ouvir António Domingues, o secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, além do ministro das Finanças e do governador do Banco de Portugal.

Já o Bloco de Esquerda, junta à lista: Elsa Roncon, antiga diretora geral do Tesouro e Finanças, e Francisco Sá Carneiro, advogado que participou no processo de negociação da contratação e apoiou Domingues nas negociações com Bruxelas ainda antes de assumir o cargo.

Numa tentativa de contornar críticas do PS e da esquerda sobre eventuais "ilegalidades e inconstitucionalidades", PSD e CDS-PP solicitam a entrega de "toda a documentação" trocada entre o Ministério das Finanças e a anterior administração da Caixa Geral de Depósitos, liderada por António Domingues relativa à entrega de declarações de rendimentos e património, sem uma referência a troca de mensagens eletrónicas.

No requerimento assinado pelos dois partidos, pedem-se "declarações, notas ou comunicados", incluindo sobre a " alteração do Estatuto do Gestor Público e suas implicações, designadamente quanto à declaração de rendimentos e património, incluindo declarações, notas ou comunicados emitidos por qualquer uma das partes".

PSD e CDS solicitam documentação relacionada com à contratação, nomeação, gestão e demissão de António Domingues que esteve apenas quatro meses à frente do banco público, e pedem um "documento descritivo das negociações, respetiva cronologia, condições e termos da contratação de António Domingues e da sua equipa para a CGD".

Os dois partidos querem, por exemplo, aceder ao contrato "ou qualquer compromisso de confidencialidade" relativo a informação da CGD que tenha sido assinado pelo anterior presidente e/ou assessorias envolvidas.

Esta é a segunda comissão de inquérito que tem por objeto a atuação do Governo na nomeação e demissão da anterior administração da Caixa e visa apurar se "é verdade ou não" que Mário Centeno "negociou a dispensa da apresentação da declaração de rendimentos" de António Domingues e da respetiva equipa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de