partido socialista

Educação. António Costa retoma paixão de Guterres

Tão importante como os resultados positivos nas finanças públicas está o crescimento do número de estudantes que entraram no ensino superior. O primeiro-ministro António Costa, que esteve em Coimbra enquanto candidato a secretário geral do PS, refere que é altura de voltar a colocar a Educação no centro das prioridades da política.

António Costa avança ainda que Portugal está melhor preparado para a próxima revolução industrial do que esteve para qualquer outra: a revolução digital. E isso vai permitir atenuar desafios futuros como a perda de população.

É preciso maior investimento na inovação, com a escola no centro das prioridades, defende António Costa enquanto candidato a secretário-geral do PS.

Costa fala que é preciso fazer um combate sem tréguas no abandono escolar e coloca o numero crescente de alunos no ensino superior no mesmo patamar que os resultados positivos alcançados pelas finanças públicas.

Embora tenha estado em Coimbra enquanto candidato ao cargo que ocupa no PS, António Costa lembrou objetivos alcançados enquanto primeiro-ministro e outros a alcançar, como condições de habitabilidade digna para toda a população.

A revolução industrial atual é o digital e para esta, diz, Portugal leva vantagem competitiva.

Pela frente, António Costa, o PS ou o governo têm desafios: o secretário geral do PS falou no desafio demográfico, em 2060 Portugal terá pouco mais que sete milhões de habitantes: consequências inevitáveis na ocupação do território ou no Serviço Nacional de Saúde.

As eleições no PS são na próxima sexta e sábado. Os resultados serão anunciados no 22.º congresso do Partido Socialista, que se realiza na Batalha.