Candidatos em exibição no cinema de Grândola

O elenco contou com seis estrelas regionais: 1 sapateiro, 1 pintor da construção civil e 4 políticos. Os eleitores encheram o Cineteatro Grandolense e fizeram o resto do filme.

Às nove da noite, parecia noite de estreia à porta do Cineteatro Grandolense. O público quase fazia fila e alguns tiveram de ficar de pé. O Diário da Região transmitiu em direto no Youtube, a Radio Sines fez o mesmo.

Entre os "artistas convidados", só um estreante - O Partido Nacionalista Renovador apostou em David Marciano, pintor da construção civil, mas este acabaria a remeter a audiência para o Facebook. Ficou tão aflito por falar em público que pouco disse e quase se desfez em suor. "Eu não sou político, é a primeira vez... Isto assim é difícil, falar para tanta gente", confessava Marciano.

De Canal Caveira, David Marciano, 40 anos, lá conseguiu, ainda assim exigir uma rotunda para Santa Maria da Serra, "passo lá todos os dias e não se compreende, poupava aí um quilómetro por dia".

O presidente da autarquia da CDU estava calmo. Tinha a sala cheia de apoiantes e pouco espaço para deslizes. António Mendes Figueira foi, em 1976, o primeiro Presidente da Câmara de Grândola. Voltou para ganhar nas últimas autárquicas e recandidata-se. Ainda assim só tem maioria graças a António Candeias, especialista em piscinas e cabeça de lista pelo movimento independente Grândola Melhor.

À porta do cinema, um militante e amigo confidenciava: "O homem já não está para isto, aos 74 anos. Mas tem sempre aquela força, aquela força a puxar por ele e cá está". A "força", presume-se, será o PCP, que não quer deixar esta cantiga para gargantas alheias.

A sala quase vem abaixo de gargalhadas, a cada intervenção de José Ramos. Sapateiro de profissão, não mudou o discurso para ser político. Novidade é manifesto de candidatura, "não parece, mas até ajudei a fazê-lo".

Tem discurso simples, mas compensa com entusiasmo. E tiradas do género "temos de ser amigos dos animais, agora temos lá o homem do PAN em Lisboa e em Grândola também somos amigos dos animais. Eu pelo menos sou."

De vez em quando fica-se assim, sem saber o que pensar. Como quando um dos homens na sala, agarra o microfone e questiona os candidatos sobre o que tencionam fazer quando Alcácer do Sal anexar Tróia, e Setúbal quiser ficar com a Comporta".

Quem pode ter razão de queixa do debate é Aníbal Ribeiro. A audiência não lhe perdoa ter despido a camisola socialista para entrar na Câmara como independente, há 8 anos. E estar agora de novo ali, "a gabar-se" do honroso convite do PS que se viu forçado a aceitar, outra vez candidato e outra vez socialista.

Sempre enérgica, a única mulher sob os holofotes aproveita a desvantagem. Aos 40 anos, a candidata do PSD, Sónia Reis fala muitas vezes obre a juventude e "o futuro dos nossos netos". Mas confessa que ainda não tem filhos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de