Carlos Abreu Amorim responde a Rio: "PSD não é um bando sectário e intolerante"

No Facebook, o deputado social-democrata considera que "convidar a sair quem discorda" é típico de "chefe de facção".

O deputado do PSD Carlos Abreu Amorim reagiu esta sexta-feira, através do Facebook, às declarações de Rui Rio, que em entrevista à TSF disse que aqueles que "discordam estruturalmente, devem sair do PSD".

Na rede social, o deputado relembrou que o partido não é "um bando sectário e intolerante que quer excluir aqueles que têm opiniões diferentes". Esta sexta-feira, em declarações à TSF, Rio tinha defendido que "todos aqueles que discordam do ponto de vista estrutural" deviam "coerentemente sair", algo que mereceu agora a reação de Carlos Abreu Amorim.

Na leitura do deputado, "Convidar a sair quem discorda do líder é típico de um chefe de facção e não é digno de um presidente de um grande partido democrático". Por fim, garante que vai continuar no partido para "ajudar a combater a desolação que se sente em toda a parte"

Carlos Abreu Amorim lembrou que já esta sexta-feira, também o Secretário-Geral e o cabeça de lista nas Europeias discordaram do líder, a propósito da Procuradoria-Geral da República, e não deverão sair por causa disse.

A TSF tinha tentado um contacto com este deputado, que acabou por comentar o caso no Facebook. Além de Carlos Abreu Amorim, também outros dos críticos internos a Rui Rio, entre eles Luís Montenegro e Pedro Duarte, não quiseram comentar à TSF as declarações do presidente do PSD.

Leia a publicação na íntegra:

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de