CDS-PP deixa cair André Ventura em Loures

O CDS-PP anunciou esta terça-feira que vai avançar com uma candidatura própria à câmara de Loures, rompendo a coligação com o PSD. Os sociais-democratas mantêm confiança política no candidato.

O partido manifesta um "profundo incómodo" depois das polémicas declarações do social-democrata a propósito da etnia cigana.

"No seguimento das recentes declarações do candidato à Câmara Municipal de Loures, Dr. André Ventura, e depois do CDS ter manifestado no seio da coligação o seu profundo incómodo com as referidas afirmações, decidiu o CDS seguir um caminho próprio no Concelho de Loures nestas eleições autárquicas de 2017", adianta a nota enviada à TSF.

Quanto ao PSD, mantém o apoio ao candidato. Em declarações à TSF, o social-democrata considera exagerada a reação às palavras de André Ventura e fala em aproveitamento político. Quanto à saída do CDS da coligação, Pedro Pinto apenas afirma que é uma decisão do CDS.

Em causa, estão as declarações de André Ventura numa entrevista publicada pelo jornal i em que afirma que há pessoas que "vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado" e que acham "que estão acima das regras do Estado de direito", considerando que tal acontece particularmente com a etnia cigana.

Na semana passada, o candidato à autarquia de Loures já tinha falado sobre uma alegada "excessiva tolerância com alguns grupos e minorias étnicas", numa entrevista ao portal Notícias ao Minuto, o que motivou uma queixa à Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial contra o candidato do PSD/CDS-PP/PPM, por parte do candidato do Bloco de Esquerda, Fabian Figueiredo, por "declarações contra as minorias étnicas".

Na entrevista ao Notícias ao Minuto, André Ventura declarou: "Não compreendo que haja pessoas à espera de reabilitação nas suas habitações, quando algumas famílias, por serem de etnia cigana, têm sempre a casa arranjada. Já para não falar que ocupam espaços ilegalmente e ninguém faz nada. Quem tem de trabalhar todos os dias para pagar as contas no final do mês olha para isto com enorme perplexidade".

Em comunicado na segunda-feira, André Ventura afirmou ter criticado situações de incumprimento da lei, independentemente de questões étnicas.

"O que preocupa a candidatura são questões de segurança e cumprimento da lei, na defesa do património público e das pessoas de bem, independentemente da raça ou etnia. [...] Boa parte das pessoas que fica muito incomodada quando são denunciadas estas situações nunca se deslocou a algumas dessas zonas e não tem ideia do 'barril de pólvora' que lá se vive diariamente", defendeu.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de