CP

Comboio do PS pode atrasar circulação regular. António Costa desvaloriza polémica

Entre Santa Apolónia e Caminha, a prioridade nos carris é para socialistas. O serviço regular da CP pode ser afetado.

A Comboios de Portugal (CP) admite eventuais atrasos na circulação para dar prioridade aos comboios que vão levar vários militantes socialistas desde o sul do país até à festa da rentrée socialista, em Caminha.

Numa deliberação da Infraestruturas de Portugal (iP), a que o Observador teve acesso, pode ler-se que a empresa "aceita os atrasos resultantes a outros comboios" para que circulem comboios fretados para a Festa de Verão do PS.

Em declarações aos jornalistas nos Passadiços do Paiva, em Arouca, António Costa desvalorizou a polémica.

Os comboios do PS circulam de ida até Caminha e de regresso ao Pinhal Novo e a Santa Apolónia entre os dias 25 e 26 de agosto (este sábado e domingo). Vão parar 20 vezes nos 526 quilómetros de cada viagem, com uma duração prevista de seis horas e 55 minutos.

Desde 2015 que o Partido Socialista recorre a comboios especiais em vez usar autocarros para transportar os militantes até à festa de Caminha.

A requisição de comboios especiais por parte de escolas, empresas e municípios rendeu à empresa 53 mil passageiros em 2013.

Esta ano, contudo, a falta de material circulante já obrigou a CP a recusar a prestação deste serviço a várias entidades.

Segundo o Público , os comboios especiais do Benfica, por exemplo, que a cada 15 dias traziam milhares de adeptos de todo o país ao estádio da Luz, não foram fretados ao clube.

A falta de comboios tem provocado várias falhas nas ligações. Só na Linha do Oeste foram suprimidos mais de 350 comboios nos primeiros quatro meses deste ano.

Também o facto de a frota da CP estar envelhecida, existindo cada vez mais avarias e falta de pessoal para fazer reparações, se traduz na diminuição dos comboios em circulação (30% dos comboios intercidades estão parados nas oficinas).

Entretanto, o PSD manifestou-se em relação a esta situação. O deputado social-democrata Carlos Silva considerou, esta sexta-feira, "incompreensível" o recurso a comboios especiais para transportar militantes socialistas para a "Festa de Verão do PS".

"É incompreensível para o PSD que a CP esteja neste estado e o PS, como partido que suporta o Governo, deverá ponderar e pensar como vai resolver o problema futuro da CP. Agora, também achamos incompreensível que a CP sobreponha a outros serviços este serviço especial. Não compreendemos que os portugueses possam vir a ser prejudicados por este serviço especial do PS", disse, em declarações aos jornalistas no parlamento.


  COMENTÁRIOS