Política

Costa despede-se de Passos. "Estivemos reciprocamente quase sempre em divergência"

O ainda líder do PSD não está presente no debate, mas o PM não quis deixar de fora a referência à "forma dedicada e empenhada" como serviu o país, mesmo que tenham estado "quase sempre" em desacordo.

A poucos dias do congresso do PSD, que se realiza no próximo fim de semana e que consagra Rui Rio como novo líder social-democrata, António Costa não deixou de fora algumas farpas dirigidas ao líder cessante. "Não queria deixar aqui de publicamente o saudar. Temos estado habitualmente e reciprocamente, quase sempre, em divergência um com o outro", afirmou.

No parlamento, António Costa disse acreditar que Pedro Passos Coelho serviu o país "de forma dedicada e empenhada naquela que era a sua leitura do interesse nacional".

Quanto a Hugo Soares, ainda líder da bancada do PSD, o primeiro-ministro disse: "Creio que ainda não é altura para nos despedirmos", afirmando que ainda "haverá ocasião para se encontrar".

Na resposta, Hugo Soares, que não gostou do "escárnio", contra-atacou: "Para fazer estes debates consigo bastou-me ter os votos da bancada atrás de mim, já o senhor teve de juntar os votos dessas bancadas todas".

"Vossa excelência soma pouco e, por isso, está na oposição, e nós formamos muito e, por isso, somos hoje maioria nesta Assembleia da República", respondeu, por seu lado, António Costa.

Num pingue-pongue entre bancadas, Hugo Soares insistiu:" Os senhores têm 86 e nós temos 89 sozinhos", disse, numa referência ao número de deputados das bancadas do PS e do PSD.

  COMENTÁRIOS