PSD

"Está na altura de Rui Rio inaugurar a liderança", diz Santana

O candidato derrotado à liderança do PSD considera a inquietação no partido "natural". Quanto à escolha de José Silvano para secretário-geral, Santana vislumbra "um toque cavaquista".

Pedro Santana Lopes admitiu esta terça-feira, na SIC Notícias, que o PSD está inquieto, mas espera que o seu novo líder assuma finalmente as rédeas do partido. Mais: rotulou como "toque cavaquista" a escolha de José Silvano para secretário-geral.

"Alguma inquietação é natural. Qualquer partido que, depois de ter elegido um líder, tivesse esta sucessão de acontecimentos estaria inquieto. Julgo que é o que acontece no PSD e depois misturado com a tal notícia de que o PSD preferia não apostar muito em 2019, mas preparar-se para ganhar as autárquicas em 2021... Isso é absolutamente contra a natureza do PSD. A história e natureza do partido, aquilo que esperam os seus militantes, eles elegeram Rui Rio para ele ganhar. Eu estou convencido de que Rui Rio quer ganhar, mas está na altura de começar a afirmar. Quero dar-lhe esse crédito: todo o líder que entra tem o direito de fazer as coisas à sua maneira".

O caso Feliciano Barreiras Duarte, diz Santana, é da responsabilidade do novo líder. "Não tem sido fácil para Rui Rio apanhar esta torrente de situações, mas, como se diz em relação a Feliciano Barreiras Duarte, o responsável pela escolha foi o próprio Rui Rio. Agora está na altura é de ele inaugurar a liderança do partido. Não é um encontro com António Costa, ou outro com Assunção Cristas, que marca o princípio de uma liderança. Do ponto de vista da ação política espero que isto encerre um tempo e ele possa começar a pôr em prática os temas, matérias e propostas que quer trazer para o debate político e combate ao Governo do Partido Socialista, que é para isso que o PPD/PSD existe neste momento."

Sobre a surpresa pela escolha de José Silvano, Santana disse haver "um toque cavaquista": "Cavaco Silva surpreendia sempre. Às vezes até podia escolher pior do que se esperava, mas gostava de surpreender. Não gostava de escolher ninguém que já tivesse sido falado..."

  COMENTÁRIOS