Sporting

Ferro Rodrigues admite final da Taça na Vila das Aves ou à porta fechada

Presidente da Assembleia da República entende que agressões em Alcochete foram "situação gravíssima", pede "medidas sérias" e aponta o dedo a Bruno de Carvalho e à comunicação social.

Depois dos acontecimentos na Academia do Sporting, em Alcochete - e num momento em que ainda pairam dúvidas sobre os moldes em que irá decorrer a final da Taça de Portugal, no Jamor -, Ferro Rodrigues admitiu hoje, no parlamento, que o jogo poderá decorrer à porta fechada ou na Vila das Aves.

"Essa decisão sobre a realização da final da Taça de Portugal compete à Federação Portuguesa de Futebol, não me chocaria que fosse feito à porta fechada ou que fosse feita em Vila das Aves", disse o presidente da Assembleia da República, que considera que "não se pode partir para esta preparação da Taça como se nada tivesse acontecido, como se fosse apenas um caso de polícia",

Em declarações aos jornalistas, Ferro Rodrigues, que considera que "não pode ficar impune quem deu passos decisivos para que esta situação gravíssima de ontem tivesse acontecido", deixou ainda duras críticas aos dirigentes desportivos dos clubes portugueses.

"Estou a falar de todos os que contribuem lamentavelmente para o ódio, a violência, o fanatismo, a corrupção no futebol português. Não são só de um clube, são de vários, todos conhecem, em parte, os seus nomes e é bom que as autoridades judiciais - sempre prontas para investigar, e bem, os políticos - investiguem, e bem, os dirigentes desportivos".

Identificando-se como sócio do Sporting Clube de Portugal há 68 anos, Ferro Rodrigues lamenta a atuação "daqueles que fazem do futebol português esta desgraça" e acrescenta: "Sobretudo do meu clube, aqueles que fazem do Sporting Clube de Portugal esta miséria que estamos a viver hoje".

Quanto às agressões na Academia do Sporting, em Alcochete, o presidente da Assembleia da República considera-as uma"situação gravíssima que ofende os portugueses, o desporto e o país", sublinhando as "repercussões internacionais" da notícia, acrescentando que ofende também os profissionais do Sporting que "se bateram sempre pelas cores que defenderam".

Alcochete , 15/05/2018 - Esta tarde estiveram 50 adetos do sporting na Academia de Alcochete para falarem com os jogadores, entrando pelo balneário e agrediram alguns jogadores. Agentes da GNR ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Ferro Rodrigues pede "medidas sérias" após agressões em Alcochete

Aos jornalistas, o presidente da Assembleia da República disse ainda que, após os acontecimentos, o "pior será deixar tudo na mesma", apelando a "medidas sérias, doa a quem doer, ao nível do Sporting Clube de Portugal, da Federação Portuguesa de Futebol e do Governo", lamentando a "perversidade autoritária e totalitária de dirigentes em mistura com uma comunicação social fanática que gosta de explorar até ao pus o que se passa ao sábado e ao domingo nos campos de futebol", mas também os "grupos terroristas" que integram as claques.

"Não foi um caso de polícia, foi um caso gravíssimo que põe em causa o desporto português, o Sporting Clube de Portugal e que põe em causa o próprio país", afirmou também Ferro Rodrigues.