Forças Armadas

"Grande problema" nas Forças Armadas não desaparece com Azeredo Lopes

Eurodeputada revela que caso Tancas deu "imagem lamentável" de Portugal aos parceiros europeus.

O problema nas Forças Armadas, diz a eurodeputada Ana Gomes, não desaparece com a saída de cena de Azeredo Lopes.

O ministro da Defesa apresentou a demissão durante a tarde desta sexta-feira e a eurodeputada considera que, apesar de Azeredo Lopes "ter feito o que era necessário fazer" ao "assumir a responsabilidade política", o assunto não fica aqui encerrado.

"Continuamos a ter um grave problema nas Forças Armadas. Imagino que o ministro tenha tido a preocupação de salvaguardar as Forças Armadas, que são estruturantes e fundamentais na nossa Nação e no estado de Direito que somos, mas o assunto não pode parar aí", alerta a eurodeputada.

A nível europeu, a imagem de Portugal tem saído beliscada, revela Ana Gomes. "Uma imagem lamentável", revela a eurodeputada.

"Tenho tido vários colegas a fazer observações sobre este caso", principalmente os que trabalham na área de Segurança e Defesa.

"Uma questão essencial e prioritária é controlar o tráfico de armas. Admitir que esse tráfico se passa a partir dos paióis do Estado, com a conivência de elementos das Forças Armadas portuguesas ou de forças de segurança portuguesas é dramático", admite.

Este sábado, há Conselho de Ministros Extraordinário para aprovar a proposta de Orçamento do Estado de 2019, apenas horas depois da demissão de Azeredo Lopes.

  COMENTÁRIOS