Eleições PSD

"Isto foi viciado". Jardim dá vitória a Santana Lopes e culpa "máquina" do PSD

Em dia de eleições diretas no PSD, Alberto João Jardim, ex-presidente do Governo Regional da Madeira e apoiante de Rui Rio, diz que Santana Lopes é "a garantia dos lugares que estão distribuídos".

Sem papas na língua Alberto João Jardim, antigo presidente do Governo Regional da Madeira e um dos 'notáveis' do PSD que apoia a candidatura de Rui Rio à presidência dos social-democratas, acusou hoje a "máquina" do PSD de "viciar as eleições" a favor do candidato Pedro Santana Lopes.

(Siga aqui ao minuto os resultados das eleições no PSD)

O ex-presidente do PSD-Madeira votou esta tarde no Funchal e, questionado pelos jornalistas sobre a campanha e a eleição do sucessor de Pedro Passos Coelho, defendeu que o PSD se "empenhou" na eleição do ex-primeiro ministro: "Não espero nada. Isto foi viciado. A máquina do partido, tanto lá como cá, empenhou-se na reeleição do Santana Lopes porque o Santana Lopes representa realmente aquilo que está estabelecido, a garantia dos lugares que estão distribuídos", disse, acrescentando: "Em princípio sim [a vitória será de Santana Lopes], a não ser que a máquina esteja tão desacreditada que nem sequer os da máquina votam nos da máquina".

Alberto João Jardim exerceu o direito de voto nestas eleições diretas do PSD ao início da tarde, cerca de meia hora depois da abertura das urnas e adiantou que, tal como esperado, tinha votado em Rui Rio. Quanto ao futuro do partido, o ex-líder do PSD-Madeira considera que será difícil, independentemente de quem seja eleito para liderar os social-democratas.

"O PSD terá muitas dificuldades em ganhar as eleições nacionais daqui a dois anos devido à política desastrosa do senhor Passos Coelho, representado agora pelo dr. Santana Lopes, portanto, o projeto do PSD terá de ser o combate, tudo por tudo, para ganhar ainda daqui a dois anos. Estão a tempo. Agora, não é com os argumentos tontos que Passo Coelho e a sua trupe andaram a utilizar durante estes anos todos", afirmou, no Funchal.

Nesse sentido, Jardim defende que se o "projeto não ganhar" é preciso "preparar um projeto já a seis anos", e deixa o aviso: "Se [o PSD] começa outra vez a mudar de líder, isto nunca mais toma juízo. Mas, esta rapaziada não sabe como é que se ganha eleições",concluiu.

  COMENTÁRIOS