PS

Líder do PS-Madeira suspende mandato para defender moção de censura ao Governo

Carlos Pereira pediu suspensão do mandato de deputado à Assembleia da República para regressar ao parlamento regional e enfrentar Miguel Albuquerque. "Não virarei a cara a este combate", diz à TSF.

Na semana passada, na Assembleia da República, os vários grupos parlamentares e o Governo discutiram a moção de censura apresentada pelo CDS-PP ao Governo liderado por António Costa, na sequência da tragédia dos incêndios. Mas, não é apenas em território continental que o tempo é de censurar quem governa.

Na Madeira, o Governo regional liderado por Miguel Albuquerque, do PSD-Madeira, vai ser obrigado a responder perante a moção de censura apresentada pelo PS-Madeira, liderado por Carlos Pereira, que já solicitou ao presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, a suspensão do mandato de deputado para poder regressar à Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira (ALRAM) e defrontar aquele que é o sucessor de Alberto João Jardim no Governo madeirense.

"Os últimos anos de governação do PSD na Madeira foram verdadeiramente catastróficos, porque grande parte das propostas do programa de Governo não foram cumpridas. Por outro lado, há opções políticas tomadas que foram verdadeiros falhanços", diz à TSF o líder do PS madeirense, que é também vice-presidente grupo parlamentar socialista.

Carlos Pereira dá como exemplo desse "falhanço" do Governo liderado por Miguel Albuquerque a área da saúde, onde "já houve três secretários regionais e mudaram três conselhos de administração" do Serviço Regional de Saúde.

"As listas de espera continuam por resolver, medicamentos que são importantes para o suporte básico e vida continuam muitas vezes a não aparecer no hospital e as queixas são sistemáticas", diz, acrescentando também que, no que diz respeito aos transportes, o atual modelo de ligações aéreas "não satisfaz" os madeirenses e as ligações marítimas "continuam por resolver".

Segundo Carlos Pereira, dois anos depois do fim do Plano de Ajustamento Económico e Financeiro da Madeira, também o pacote fiscal aplicado já deveria estar a ser reduzido. "Este Governo prometeu-nos, mas continuamos sem ver reduções de impostos", salienta.

Autárquicas dão "empurrão" aos socialistas frente a Albuquerque

Ouvido pela TSF a propósito da moção de censura ao Governo madeirense que em breve será discutida na ALRAM, Carlos Pereira adianta ainda que o "muito mau resultado" do PSD-Madeira e o "melhor resultado de sempre" do PS-Madeira também ajudam À decisão de avançar com a censura ao Executivo de Miguel Albuquerque.

"Embora reconhecendo que o PSD tem legitimidade formal para governar, porque tem maioria absoluta no parlamento, estes resultados indiciam uma quebra de confiança do eleitorado no PSD-Madeira", diz, o líder dos socialistas madeirenses, que considera que a apresentação da moção de censura "segue a vontade do povo", de "não prolongar este Governo desnorteado, a cair aos bocados e que não é capaz de cumprir as promessas",

Quanto ao regresso de Carlos Pereira ao parlamento regional, para encabeçar o ataque dos socialistas ao Governo de Miguel Albuquerque, está marcado para o dia 1 de novembro.

"Não virarei a cara a este combate, que me parece absolutamente essencial e decisivo para a Madeira", afirma.

  COMENTÁRIOS