Luís Montenegro

"O prejuízo é inegável": caso das faltas de José Silvano "belisca" o PSD

David Dinis e Paulo Baldaia sentam-se à mesa com o social-democrata Luís Montenegro no programa Às Onze no Café de São Bento desta quinta-feira.

Luís Montenegro considera que o caso das faltas do deputado e secretário-geral do PSD José Silvano está a prejudicar o partido.

Em declarações esta quinta-feira no programa da TSF Às Onze no Café de São Bento, o social-democrata diz que "o prejuízo na afirmação do caminho político é inegável".

Além disso esta não é a primeira vez que notícias associadas ao PSD dominam a discussão pela negativa, nota.

O social-democrata diz-se por isso preocupado com o partido. Se as eleições legislativas fossem hoje, diz, "o PSD não venceria".

Grande parte da culpa pela situação do partido é de Rui Rio, diz. "A forma como tem gerido alguns destes casos tem-lhe retirado margem de manobra"

No sábado, o Expresso noticiou que José Silvano assinou as folhas de presença de 13 reuniões plenárias realizadas em outubro, apesar de em pelo menos um dos dias ter estado ausente .

O próprio admitiu ao semanário que na tarde de 18 de outubro esteve no distrito de Vila Real ao lado de Rui Rio. Apesar disso, alguém registou a presença do secretário-geral social-democrata logo no início da sessão plenária, quando passavam poucos minutos das 15h00.

A TSF contactou o grupo parlamentar do PSD e o deputado José Silvano mas não obteve qualquer justificação para a ausência.

Esta terça-feira, depois de Ferro Rodrigues ter questionado os serviços do Parlamento sobre o fundamento da notícia, foi confirmado que "outra pessoa" teria utilizado a palavra passe de José Silvano para registar a presença.

Ao final do dia, o deputado emitiu um comunicado onde afirmava ter pedido ao Presidente do Parlamento que lhe "fossem marcadas as respetivas faltas".

José Silvano fala "na existência de uma prática parlamentar que permite conciliar a atividade política intensa dos dirigentes nacionais dos partidos políticos, nunca descurando as questões relevantes para o país, com a atividade parlamentar quotidiana."

A propósito das senhas de presença que José Silvano recebeu pelos dias em que não participou nos trabalhos parlamentares, o deputado garante que nunca se quis aproveitar "dos dinheiros públicos".

É por isso que pede agora ao Presidente da Assembleia da República "que fossem marcadas as respetivas faltas", acrescentando ainda que justificou "também as razões para que tal procedimento não tivesse ainda ocorrido."

Ouça aqui as emissões anteriores de Às 11 no Café de São Bento

  COMENTÁRIOS