Política

Marcelo: Presidente aterra na Suíça para visita oficial

O Presidente da República tem pela frente três dias preenchidos entre Genebra e Berna.

Marcelo Rebelo de Sousa começa amanhã uma visita oficial de dois dias à Suíça. Mas, já esta tarde, tem um encontro informal com emigrantes portugueses em Genebra, onde vivem quase metade dos 300 mil portugueses residentes na Suíça.

Na segunda-feira, Marcelo Rebelo de Sousa é recebido pelo presidente da confederação Suíça, Johann Schneider-Ammann, numa altura em que o país pretende intensificar as relações com Lisboa.

"A cooperação sobre questões bilaterais, em particular nas áreas da formação e investigação", a par dos "assuntos económicos e internacionais" são o principal foco dos encontros oficias em Genebra e em Berna.

A "relação com a Europa" é outro dos temas em destaque na agenda dos contactos oficiais de Marcelo Rebelo de Sousa com o governo federal.

O Presidente português é recebido na segunda-feira pelo presidente da Confederação Suíça, Johann Schneider-Ammann, em Genebra, com uma visita a duas empresas tecnológicas, que combinam a investigação e a educação.

Marcelo segue depois viagem para Berna e, como manda o protocolo, vai ser recebido com honras militares. Vai encontrar-se com membros do parlamento suíço e passará a tarde em reuniões oficiais para tratar dos temas da agenda.

Na terça-feira, o presidente visita a uma empresa tida como um exemplo daquilo a que os suíços designam como "vocacional training".

Sete em cada dez alunos na Suíça optam por esta via de ensino, que lhes permite, a partir dos 15 anos, o contacto com uma profissão, através de aulas práticas quase diárias, no próprio local de trabalho e com teoria em sala de aula uma ou duas vezes por semana.

É um dos destaques da visita oficial de Marcelo Rebelo de Sousa, que antes de regressar a Lisboa, ainda passa pelo museu Franz Gertsch, o artista suíço destacado na pintura hiper-realista.

Já esta tarde, o Presidente, acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e pelo secretário de secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, encontram-se com portugueses emigrantes, em Genebra.