Parlamento

Ministro anuncia concurso de ligação ferroviária Évora-Elvas para março

Anúncio foi feito pelo ministro Pedro Marques, que fala num investimento de 400 milhões de euros. No parlamento, o PCP pediu um "programa de emergência" para investir nos transportes públicos.

O Governo já tem uma data para o lançamento do concurso para a ligação ferroviária entre Évora e Elvas, que tinha sido prometida pelo Executivo liderado por António Costa. O concurso arranca em março e o Governo prevê que o investimento venha a rondar os 400 milhões de euros.

O anúncio foi feito, esta tarde, no parlamento, pelo ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, que fala no "maior troço de linha férrea dos últimos 100 anos", e que irá ligar o Porto de Sines à fronteira com Espanha.

"É com iniciativas como estas que, ao crescimento de 50% no investimento estruturante na ferrovia, somaremos, em 2018, uma duplicação desse montante de investimento", afirmou Pedro Marques.

No parlamento, o ministro disse ainda que está em marcha o plano de modernização da Linha do Norte e Linha da Beira Baixa, entre a Covilhã e a Guarda, que irá permitir "reabrir a ligação entre as duas cidades, desativada há cerca de uma década".

Pedro Marques está no parlamento a responder aos deputados, a propósito de um interpelação ao Governo agendada pelo PCP, tendo como tema a "Política geral centrada nas necessidades de investimento nos serviços públicos, nomeadamente nos setores da Saúde, Educação, Transportes e Comunicações".

Sobre o tema escolhido, o ministro do Planeamento e Infraestruturas considerou a discussão "oportuna", defendendo que o Governo "reverteu" muitas das posições do anterior Executivo em relação aos transportes públicos e infraestruturas, e sublinhando que o Governo PSD/CDS-PP "não cuidou do que era melhor para o país e para o interesse público".

"Melhorámos os serviços, aumentámos o número de passageiros, lançámos os concursos para as obras que estão agora a chegar ao terreno", insistiu.

PCP pede "programa de emergência" para investir nos transportes públicos

Pelo PCP, foi o deputado Bruno Dias que assumiu o papel de destaque nas questões dirigidas ao Governo e nas críticas apontadas, em particular, ao Governo liderado por Pedro Passos Coelho. Ainda assim, também o Executivo de António Costa ouviu as reclamações do grupo parlamentar comunista.

"É preciso romper com a política de cortes orçamentais nas empresas, de agravamento da exploração dos trabalhadores e redução de quadros operacionais, de desinvestimento em frotas e equipamentos, de privatização e concessão de serviços a grupos económicos, de encerramento de linhas e carreiras, de aumentos de preços e tarifas", disse Bruno Dias.

Numa intervenção em que assinalou que, segundo dados do Eurostat, Portugal é o "único" país da Europa que "tem mais quilómetros de estradas do que de ferrovia", o deputado do PCP insistiu ainda na questão da reversão da privatização dos CTT, considerando: "Nenhum Governo pode assistir passivamente a esta degradação e depredação de uma empresa insubstituível para o país", disse Bruno Dias.