Política Pura

Operação Marquês penaliza o PS?

Jorge Costa e Nuno Melo debateram as implicações da acusação do Ministério Público no programa Política Pura, da TSF.

O deputado do BE, Jorge Costa, considera que o PS não está a ser prejudicado pela Operação Marquês e que a interpretação pública não foi contaminada.

"Seria totalmente abusivo haver uma espécie de contaminação por pertença à mesma organização política, isso não faz sentido. Outra coisa é que pudesse haver do ponto de vista da interpretação pública a ideia de que terá havido um conluio de alguém ou de que o PS como um todo tivesse essa cumplicidade com atos cometidos desta forma. Não me parece que haja essa identificação ou que o PS esteja a ser punido eleitoralmente ou de outra forma pelos atos que eventualmente poderão ter sido cometidos pelo antecessor do anterior secretário-geral".

Já Nuno Melo sublinha a dimensão política e considera que o atual PS não pode eximir-se das responsabilidades.

"Há uma outra dimensão que é política, com custos de milhões, que as pessoas suportaram em tempos difíceis, que resultaram numa intervenção quando a Portugal negavam crédito para o que fosse com a consequência da intervenção externa da troika. Tudo isso foi medido e decidido por titulares de governos que hoje se percebe absolutamente irresponsáveis, mas que voltaram pela porta pequena porque perderam eleições apoiados pelo BE e PCP".

Jorge Costa considera que, independentemente do que venha a ser apurado a nível judicial, fica exposta a promiscuidade entre o poder político e económico.

"Casos que agora surgem, fosse a venda da Vivo, o processo da PT e da sua colocação ao serviço do BES, a distribuição de dividendos milionária da PT, tudo isso era público e conhecido e apresentado como um sinal de saúde. Muitos ministros dos sucessivos governo do PS e do PSD/CDS foram visitas da sala destes senhores e colegas deles nos conselhos de administração. Esta promiscuidade política é o que se consegue entrever com estes factos, mesmo que não sejam encontradas as provas. A promiscuidade está bem à vista".

  COMENTÁRIOS