Parlamento português pode vir a promover debates no twitter

Debates digitais. Criação de um dicionário parlamentar e simplificação da linguagem. São ideias que foram adotadas pela Câmara inglesa e que podem ser também aplicadas em Portugal.

Ferro Rodrigues anunciou esta quarta-feira a criação de um grupo de trabalho para propor novas ferramentas digitais que aumentem a comunicação com os cidadãos e a transparência da Assembleia.

A investigadora Cristina Leston-Bandeira fez parte da Comissão para a Democracia Digital inglesa e vai agora fazer também parte deste grupo de trabalho do Parlamento Digital português.

A linguagem parlamentar por vezes parece para lamentar. Um léxico hermético, pouco conhecido afasta eleitos de eleitores. Aqui como no Reino Unido.

Cristina Leston-Bandeira traz a experiência de Londres, onde uma das propostas foi para tornar a linguagem mais acessível. "Division", por exemplo, não significa "divisão" mas "votação". O site do Parlamento britânico passou a dar a "possibilidade de pôr o rato em cima da palavra e explicar" o seu significado. Uma espécie de dicionário parlamentar.

Ou outro exemplo: a promoção de debates no Twitter, com a ajuda de hashtags, em que as sugestões dos eleitos são incorporadas no processo legislativo.

Os debates digitais ou a simplificação da linguagem parlamentar são apenas duas ferramentas que fizeram parte da lista de sugestões da Comissão para a Democracia Digital Inglesa e que podem ser transpostas para Portugal.

Com a iniciativa "Parlamento Digital", Ferro Rodrigues pretende dar seguimento à resolução da Assembleia aprovada em 2014 para a "Abertura e Transparência Parlamentar".

Essa resolução prevê o aumento da transparência dos trabalhos parlamentares, dando acesso público a vários documentos relativos ao trabalho dos deputados.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de