Política

Previsões da Comissão Europeia não preocupam Costa: "A história tem um padrão"

António Costa recordou que as previsões da Europa têm falhado e que as do governo têm sido acertadas.

O primeiro-ministro assegura que não está numa competição com a Comissão Europeia a propósito das estimativas para o défice e para o crescimento da economia.

Esta manhã no Twitter, António Costa já tinha alegado que Bruxelas tem falhado as previsões. E, de visita à região de Oeste, recorreu a dados históricos para demonstrar que as contas do governo têm batido certo.

"A história tem um padrão, previram sempre menos crescimento do que aquilo que crescemos, menos emprego do que crescemos, mais défice do que aquilo que tivemos. O prazer particular que temos é demonstrar sempre que as nossas previsões felizmente estão certas, porque queremos continuar a crescer mais, ter cada vez menos desemprego e ter cada vez um défice mais reduzido", explicou o primeiro-ministro, garantindo que é com isso que o governo trabalha e não na produção de previsões.

No oeste, António Costa revelou também que espera aprovar todos os investimentos do Programa Nacional de Regadios até ao final de janeiro. Neste momento, há 55 projetos aprovados. O primeiro-ministro e o ministro da Agricultura visitaram um desses projetos que há muito era desejado pelos produtores de pera rocha.

"O que é fundamental é este programa permitir aumentar significativamente a produtividade", justificou Costa, falando de pelo menos quatro vezes mais produção do que a existente. É com este tipo de investimento que "vamos continuar a fazer crescer o país e a poder continuar dar sustentabilidade à convergência com a Comissão Europeia".

"O país não é só feito de startups, é também feito da nossa atividade industrial e da nossa atividade agrícola e essas atividades carecem de inovação para poderem melhorar significativamente", alertou o primeiro-ministro.

  COMENTÁRIOS