Habitação

PS e PCP não chegam a acordo no pacote de habitação

O PS pediu o adiamento da votação do chamado Pacote da Habitação por falta de consenso. A discórdia está nos benefícios fiscais. O PCP admite a falta de entendimento nessa matéria.

Depois da falta de consenso anunciada pelo PS no fim da reunião do grupo parlamentar socialista desta quarta-feira, veio o PCP a terreiro dizer de sua justiça. O PS afirmou que o PCP estava irredutível num dos pontos: os benefícios fiscais. O PCP defende que que isso em nada resolve o problema da habitação para os portugueses, pelo contrário, apenas beneficia os senhorios.

A deputada comunista Paula Santos defende que o PCP não pode votar favoravelmente uma proposta desta natureza, admite a falta de consenso e lembra que o PCP está disponível para discutir a fiscalidade na habitação com "o englobamento dos arrendamentos no IRS" mas o PS não quis discutir e lembra ainda Paula Santos que o PS nunca se disponibilizou "a votar favoravelmente a revogação da lei dos despejos"

Antes, o Partido Socialista tinha pedido o adiamento potestativo da votação, justificando com anecessidade de "mais tempo" para o grupo parlamentar do PS "negociar" a aprovação do pacote legislativo sobre habitação, avançou Helena Roseta. Ainda assim, a deputada independente pelo PS garantiu à agência Lusa que este processo ficará concluído antes da aprovação do Orçamento do Estado (OE), garantiu a deputada Helena Roseta.

  COMENTÁRIOS