Eleições PSD

Rui Rio confiante na vitória, embora não seja questão "de vida ou morte"

O candidato à liderança do PSD votou às 16h35 na sede da distrital do PSD/Porto e mostrou-se satisfeito com a afluência às urnas, algo "que dá vida ao partido".

Rui Rio afirmou que as eleições internas no partido não se tratam de uma questão "de vida ou de morte", mostrando-se "confiante" na vitória.

Ganhar não é uma questão "de vida ou de morte, um ganha, outro perde, o PSD continua, a vida continua", disse, acrescentando que certo é que, após estas eleições, o PSD "está em condições de se relançar de uma forma muito melhor da que estava há dois ou três meses".

Falando aos jornalistas na sede da distrital do PSD/Porto, onde votou cerca das 16h35, Rio sustentou que esta disputa à liderança do partido com Pedro Santana Lopes "ajudou a revitalizar o partido" e "isso é importante".

O ex-presidente da Câmara do Porto destacou também a afluência às urnas, afirmando que "muita afluência é bom" e vem ao encontro da sua ideia de que "o partido está mais mobilizado".

Para Rio, as eleições diretas "são positivas" e é a participação dos militantes "que dá vida ao partido".

Rio garantiu ainda que, quer perca ou ganhe as eleições, o seu relacionamento com o seu adversário, Pedro Santana Lopes, não mudará, porque "o relacionamento do passado é igual ao de hoje".

"E espero que entre os apoiantes também seja a mesma coisa", disse, acrescentando: "Fizemos o que estava ao nosso alcance, justamente para não se abrirem feridas".

Rio afirmou ainda que, caso saia derrotado, o PSD poderá contar sempre consigo, "como sempre contou, [porque] as eleições são democráticas" e aceitará "qualquer resultado".