Às onze no Café de São Bento

"Tenho lido e estudado muito para perceber a matéria"

É a primeira entrevista desde que se tornou secretário de Estado da Energia. João Galamba resistiu às polémicas iniciais e garante que está a estudar a fundo para dominar a complexa pasta que lhe foi entregue. E que ele recebeu com "surpresa", mas agrado.

Finanças, Economia ou Energia. Só numa destas áreas, João Galamba se imaginava a desempenhar funções dentro de um governo.

Ditou a sorte (ou o ministro João Pedro Matos Fernandes) que o deputado socialista fizesse a sua estreia como secretário de Estado da Energia.

Depois de entrar no Governo, João Galamba estreou-se também no programa da TSF "Às Onze no Café de São Bento", onde deu a sua primeira entrevista desde que assumiu o cargo.

Sobre o convite que recebeu do ministro do Ambiente e da Transição Energética para ocupar o cargo de secretário de Estado, João Galamba reconheceu que não estava à espera e que, apesar de não ter acompanhado o setor da energia no Parlamento, o setor energético não lhe é totalmente desconhecido.

O interesse que garante ter tido ao longo do anos pelo setor parece não ser suficiente. Isto porque João Galamba tem estudado muito, "até demasiado".

O tempo que tem dedicado ao estudo de um setor complexo e diverso tira-lhe horas de sono, mas o deputado socialista diz ter a sorte de ser parecido com Marcelo Rebelo de Sousa neste, e apenas neste, aspeto em concreto: dorme pouco.

Uma área "muito técnica e diversificada nos temas" mas que garante estar a fazer os possíveis para estar "dentro da maioria dos dossiers e perceber a matéria".

"Não há agenda anti-EDP nem pró-EDP"

Muitos são os que acusam o ex-porta-voz do Partido Socialista de não ter currículo para o cargo que agora ocupa, mas, mesmo debaixo de fortes críticas, João Galamba responde a todos os que duvidam das suas capacidades: agirá sempre em defesa do interesse público. Mesmo que as decisões que tome favoreçam a EDP.

"Há decisões favoráveis à EDP e outras desfavoráveis, tal como à Iberdrola. As vicissitudes do secretário de Estado da Energia é que as decisões que toma serão sempre desfavoráveis ou favoráveis a alguém, às vezes de forma alternada e portanto, não há agenda anti-EDP nem pró-EDP."

Mas não se fica por aqui. João Galamba garante que as decisões que vier a tomar serão as mais adequadas para aquele momento e que não se deixará influenciar pelos fatores extrínsecos. "É o único principio que guia as decisões que tomo e não porque afrontam ou não afrontam. Um governante deve fazer aquilo que em cada momento é adequado."

O futuro da Geringonça, o "património da esquerda portuguesa"

A Geringonça "valoriza todos os partidos" e é uma conquista de que João Galamba se orgulho. O novo secretário de Estado diz mesmo que gostava de ver a solução que foi encontrada em 2015 repetida nos próximos anos.

E a hipótese de um PS sem Geringonça? A posição de João Galamba é conhecida e garante que o facto de agora fazer parte do Governo não a altera. Os acordos devem ser feitos sempre à esquerda e, se eles foram possíveis até agora, deverão continuar a sê-lo porque "a esquerda portuguesa ganha com isso e em estratégia vencedora não se mexe."

Certo é que até às eleições legislativas ainda há um longo percurso a ser feito e até lá o novo secretário de Estado quer ser avaliado pelo seu trabalho no setor da energia que "é o sonho de qualquer esquerdista".

LER MAIS:

- João Galamba avança com reestruturação na Energia. Diretor-geral afastado

- A justificação do ministro. "Achei que João Galamba completava o meu saber"

- João Galamba é o novo secretário de Estado da Energia

- "O homem certo". É o que João Galamba espera ser para a Energia

  COMENTÁRIOS