Tolerância de ponto: À esquerda há críticas à decisão do Governo

O deputado socialista Tiago Barbosa Ribeiro considera "um erro disparatado" o Governo dar tolerância de ponto e o ex-deputado do Bloco de Esquerda, Fernando Rosas lembra que o Estado é laico.

Ouvido pela TSF, Fernando Rosas considera que o Estado português não deve "decretar feriados para comemorar festas religiosas, seja de que religião for, ainda por cima, quando só o faz para a religião católica em Portugal".

O antigo deputado do Bloco de Esquerda defende que o Estado português é constitucionalmente laico e por isso "não deve intrometer-se".

Argumenta ainda que o papa Francisco "vem a título particular", numa "visita privada" que "não é uma visita de Estado, do Vaticano".

"Do ponto de vista dos princípios, acho que está mal", conclui Fernando Rosas

Contactado pela TSF, o Bloco de Esquerda diz que não se opõe à decisão do Governo em dar tolerância de ponto.

Há sete anos, aquando da visita do papa Bento XVI a Portugal, Fernando Rosas, então deputado do Bloco de Esquerda, acusou o Governo de José Sócrates de, ao dar dois dias de tolerância de ponto, aplicar uma medida que discrimina os cidadãos portugueses. Rosas argumentava com a "obrigação de tratar por igual todos os cidadãos, independentemente da religião que professam".

Fernando Rosas diz agora que não mudou de opinião "desde o último papa".

Críticas também no PS

O deputado do PS, Tiago Barbosa Ribeiro reagiu com "estranheza e estupefação" à notícia de que o Governo vai conceder tolerância de ponto à função pública a 12 de maio, primeiro dia da visita do papa a Fátima.

"Não conheço as razões que serão invocadas no decreto, mas já antecipo que sejam facilmente rebatíveis: não pode fundamentar-se na viagem de um chefe de Estado estrangeiro e ainda menos na viagem de um líder confessional", escreveu o deputado na sua conta no Facebook.

Barbosa Ribeiro afirmou que "será legítimo invocar o mesmo princípio" para visitas de membros de outras religiões, mas admitiu que uma "belíssima ideia" seria "não dar estas tolerâncias".

"Não é muito comum encontrar erros no Governo que apoio e para cuja maioria trabalho diariamente no Parlamento, mas aqui está um. E especialmente disparatado", concluiu.

O Governo vai conceder tolerância de ponto nos serviços públicos a 12 de maio, dia em que o papa Francisco chega a Portugal para o centenário das "Aparições" de Fátima, disse hoje à Lusa fonte do executivo, revelando que a tolerância de ponto será dentro em breve anunciada formalmente pelo Governo.

O papa Francisco visita Fátima a 12 e 13 de maio para canonizar os dois pastorinhos Jacinta e Francisco no centenário das "aparições" na Cova da Iria, em 1917.

Será o quarto papa a estar em Fátima, depois das visitas de Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

O papa tem também encontros agendados com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e com o primeiro-ministro, António Costa.

Continuar a ler