José Silvano assinou presença mas não chegou a sentar-se na Comissão da Transparência

O coordenador do PSD entrou na sala, assinou a folha de presenças mas não chegou sequer a ocupar o lugar na mesa. A TSF questionou o deputado sobre a ausência mas não obteve resposta.

Os deputados da Comissão da Transparência iam começar a debater a forma que deve assumir a criação de Códigos de Conduta para políticos e altos cargos públicos, quando o coordenador do PSD na comissão entrou, assinou a folha de presenças, trocou algumas palavras e saiu da sala, sem se ter sentado.

José Silvano não voltou a entrar e, por isso, não participou nas cerca de duas horas de trabalho da Comissão da Transparência, onde costuma ser um dos deputados mais ativos, dada o papel de coordenador social-democrata.

A TSF contactou o grupo parlamentar do PSD e o deputado José Silvano mas não obteve qualquer justificação para a ausência. Para essa hora não estavam agendados outros trabalhos parlamentares. Só às 16 horas arrancaria a reunião com o ministro da Ciência e do Ensino Superior, onde o deputado não participa porque não integra qualquer uma das duas comissões envolvidas no debate (Orçamento e Educação)

Ontem, depois de Ferro Rodrigues ter questionado os serviços do Parlamento sobre o fundamento da notícia do jornal Expresso que dava conta de que a presença de José Silvano teria sido registada em sessões onde esteve ausente, foi confirmado que "outra pessoa" teria utilizado a palavra passe de José Silvano para registar a presença. O deputado, ao final do dia, emitiu um comunicado onde afirmava ter pedido ao Presidente do Parlamento que lhe "fossem marcadas as respetivas faltas".

Hoje, Rui Rio , líder do PSD, manteve que a sua posição sobre o secretário-geral do partido permanece inalterada, dois dias depois de assegurar que mantém a confiança política em José Silvano, embora já tenha adimitido tratar-se de um caso que "não é agradável".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados