BCE exige alternativa à recapitalização pública da CGD

O Banco Central Europeu quer um plano alternativo à re-capitalização pública da Caixa Geral de Depósitos. Governo diz que conversas na Europa sobre a CGD "têm evoluído de forma construtiva".

No habitual comentário de domingo na SIC, deu a conhecer o conteúdo de uma carta, enviada pelo BCE a 8 de junho, à administração do banco publico.

O Banco Central Europeu está contra as mudanças previstas para Caixa Geral de Depósitos e quer com urgência conhecer um plano alternativo para o banco do estado e a respetiva capitalização publica. A novidade foi avançada esta noite no habitual espaço de comentário de Marques Mendes na SIC.

O antigo ministro e líder do PSD foi mais longe e apresentou mesmo uma carta do Banco Central Europeu.

Marques Mendes revelou o conteúdo de uma carta do Banco Central Europeu.

00:0000:00

"Na sua carta, o BCE coloca uma questão nova, até hoje não falada por ninguém. Pede expressamente, e com urgência, uma proposta alternativa à capitalização pública. Até agora, só se tem falado em capitalização por parte do Estado. Em que ficamos? O Governo preparou ou está a preparar uma alternativa à capitalização do Estado? Sim ou Não?"

No habitual comentário na SIC, Marques Mendes conta que, na carta enviada a 8 de junho, o BCE tecia também várias considerações sobre o conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos.

As várias questões colocadas pelo BCE em relação à administração da CGD.

00:0000:00

"O que publicamente foi dito é que a CGD terá 19 administradores. Só que o BCE contesta este número e recomenda um máximo de 15. Em que ficamos? Vai haver mudanças? Acumulação de funções entre Presidente do Conselho de Administração e Presidente da Comissão Executiva. A proposta publicamente conhecida é a de que António Domingos acumulará os dois cargos, Chairman e CEO. O Banco Central Europeu, ao contrário, opõe-se à ideia. Entende que deve haver separação. Em que ficamos?".

O Banco Central Europeu alerta ainda para o facto de ser desejável que os próximos administradores executivos e não executivos da Caixa tenham conhecimentos na área da banca, o que contraria o que tem sido noticiado.

A resposta do Ministério das Finanças

Numa resposta escrita enviada à TSF, o ministério das Finanças confirma o envio pelo BCE de uma carta à Caixa Geral de Depósitos no passado dia 8 de junho.

O ministério garante que as conversações com entidades europeias sobre a substituição da administração da CGD e sobre o plano de capitalização "têm evoluído de forma construtiva". Não houve qualquer veto às propostas apresentadas pelo governo. Diz o ministério das Finanças que para além de não ter sido vetado qualquer nome também não foi apresentada "qualquer exigência de um plano alternativo".

O valor da capitalização será apurado depois da nova administração entrar em funções.

A terminar a resposta enviada à TSF, o ministério das Finanças diz que a "divulgação de cartas entre entidades europeias e a Caixa Geral de Depósitos não contribui" para resolver as questões determinantes para o futuro do banco público".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de