Parlamento aprova votos de pesar pela morte de Shimon Peres

Votos apresentados por PS e CDS-PP foram aprovados, mas com votos contra de BE, PCP e PEV. PAN absteve-se. Comunistas acusam Shimon Peres de responsabilidade na "opressão contra o povo palestiniano".

O parlamento aprovou esta tarde dois votos de pesar, apresentados por PS e CDS-PP, pela morte do antigo presidente da República e Prémio Nobel da Paz, mas, a esquerda dividiu-se no momento da votação.

Os votos de pesar contaram com os votos favoráveis de PS, PSD e CDS-PP, contudo, as bancadas do PCP, do BE e do PEV manifestaram-se contra os dois textos. Já André Silva, deputado do PAN, optou pela abstenção.

Quanto aos votos apresentados, pelo CDS-PP, os centristas recordam Shimon Peres enquanto uma "figura incontornável" da política internacional e um dos "grandes defensores de uma solução pacífica e justa para o conflito israelo-árabe". No texto socialista pode ler-se que o PS sublinha um "profundo pesar pelo falecimento, endereçando à sua família, instituições e povo israelita sentidas condolências".

Na declaração de voto dada a conhecer aos deputados e aos jornalistas, os deputados do PCP adiantam que não acompanham os votos apresentados "pelas responsabilidades políticas que [Shimon Peres] assumiu", sendo "um dos principiais responsáveis pela ocupação ilegal da Palestina por Israel e por um brutal e criminoso sistema de opressão exercido contra o povo palestiniano".

O ex-presidente de Israel e Prémio Nobel da Paz morreu na quarta-feira, após ter sofrido um acidente vascular cerebral a 13 de setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de