Passos diz que Caixa não precisa de "nem de metade de 5 mil milhões"

Presidente do PSD estima que verba necessária para recapitalização do banco fique muito aquém do valor falado nos media e recomenda ao governo que quebre silêncio sobre o processo.

Pedro Passos Coelho defendeu esta tarde que a Caixa Geral de Depósitos não necessita de cinco mil milhões de euros "e porventura não precisará nem de metade disso para cumprir a sua missão".

"?É? a minha opinião, mas evidentemente eu hoje não sou primeiro-ministro", acrescentou, sublinhando esperar que "fosse o primeiro-ministro ou o ministro das Finanças a clarificar rapidamente esta matéria".

Durante um almoço com empresários promovido pelo Internacional Club of Portugal, em Lisboa, o presidente do PSD instou o executivo de António Costa a clarificar a situação do banco público. "Se nós continuarmos a criar dúvidas sobre esta matéria, o resultado será grave", avisou, salientando que o silêncio fragiliza a CGD e os restantes bancos.

Em resposta a um convidado do encontro, o antigo primeiro-ministro explicou que em 2011 o "envelope financeiro para a recapitalização bancária" era de 12 mil milhões de euros. "Segundo o Banco de Portugal, na altura, para fazer uma recapitalização mais robusta, nós precisaríamos entre 40 a 50 milhões e não tínhamos", contou, dizendo não ter ficado "a chorar sobre o leite derramado".

"Nós fizemos a recapitalização com base no envelope financeiro de que dispúnhamos e os bancos fizeram uma parte do seu trabalho, que foi a limpeza de balanços durante quatro anos", referiu, concluindo que o Estado fez na altura o que era possível.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de