PCP insatisfeito com metas de Centeno. BE diz que Governo não aprendeu a lição

Nem tudo o que é bom para o Governo é bom para os partidos que o apoiam. Centeno quer reduzir o défice ao mínimo. Bloco e PCP discordam do caminho.

Já não é propriamente uma surpresa, mas voltou a acontecer. O Ministro das Finanças anunciou uma redução do défice ainda maior, este ano e no próximo. PCP e Bloco não gostaram e acusam o Governo de estar a inviabilizar um maior crescimento da economia.

No programa Política Pura, da TSF, o deputado comunista, António Filipe, diz que o executivo "está a criar um garrote à economia" e assume que a meta de 1,5% de défice este ano e 1% no próximo, são "números que não nos satisfazem".

Do lado do Bloco de Esquerda, Jorge Costa atira que "o Governo não aprendeu a lição com o que se passou no último ano", referindo-se ao facto de o executivo liderado por António Costa ter contrariado em grande medida o que a Comissão Europeia exigia. Jorge Costa avisa que "quando se apresentam défices próximo de zero está-se a contrariar a política que devia estar a ser seguida".

"Era importante a CGTP participar na integração dos precários"

Em cima da mesa das negociações, à esquerda, está neste momento a integração dos trabalhadores precários no Estado. Ana Avoila, da Frente Comum disse no Fórum da TSF, esta quinta-feira, que não iria participar nos grupos de trabalho que vão ser constituídos pelo executivo. António Filipe tem dificuldade em compreender porquê e recorda que "essa participação era importante", admitindo ao mesmo tempo que desconhece os motivos dos sindicatos afetos à CGTP.

Já Jorge Costa, do Bloco de Esquerda, tem a mesma dificuldade em compreender a ausência dos sindicatos da CGTP. "Compreendo mal que isso possa acontecer", diz o deputado bloquista, lembrando que era muito importante a participação de todos neste processo.

Ouvir programa na íntegra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de