"Absurdo e inaceitável." PS quer avaliar condições de trabalho em 'call centers'

Há mais de 80 mil trabalhadores desprotegidos a prestar serviços em call centers. É esta realidade que os socialistas levam a debate esta quinta-feira, pedindo ao Governo que avalie "as péssimas condições de trabalho", num setor que vale mais de mil milhões de euros.

O grupo parlamentar do PS entregou, na Assembleia da República, um projeto de resolução em que recomenda ao Governo que, através do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, proceda a um estudo sobre as condições de trabalho em centros de contacto - os chamados 'call centers'.

Segundo o texto entregue pelos socialistas - que marcaram para esta quinta-feira um debate de atualidade para abordar o tema do regime de trabalho em 'call center" -, o PS pretende ver avaliada a "ligação entre as características do trabalho em centros de contacto e o bem-estar físico e psicológico dos trabalhadores", com maior atenção em critérios como: equipamentos e ergonomia do posto de trabalho; flexibilização e conciliação da vida pessoal e familiar; tipologia dos contratos; ou progressão profissional e evolução dos salários.

"São mais de 80 mil trabalhadores desprotegidos, com péssimas condições de trabalho, tanto do ponto de vista ergonómico e físico - com ritmos violentos e com poucas pausas -, quer do ponto de vista psicológico", diz à TSF a deputada Wanda Guimarães, uma das vice-presidentes da bancada socialista.

A deputada do PS fala numa realidade "absurda e inaceitável" que afeta milhares de trabalhadores, num setor com um volume de negócios de "mais de mil milhões de euros" e em que a massa salarial dos trabalhadores "diminuiu".

Os deputados socialistas chamam ainda a atenção para o facto de esta atividade profissional esconder uma realidade muito diferente daquela que é publicitada.

"Não tem somente o caráter temporário que se lhe atribui, e muito menos é exercida exclusivamente por jovens à procura de um complemento para os seus rendimentos, enquanto estudam ou procuram o primeiro emprego. Existem, neste momento, pessoas que exercem esta atividade de forma contínua há vários anos, mas em relação às quais também subsistem situações de precariedade", pode ler-se no projeto de resolução.

Nesse sentido, Wanda Guimarães, deputada do PS, sublinha a necessidade de avaliar a situação dos trabalhadores que exercem estas funções, para que, mais tarde, se possa avançar com legislação.

"Não quero ser demagógica e dizer que é um estudo que se faz de hoje para amanhã. Não é verdade. Mas, sim, há objetivamente uma vontade política do PS em resolver a situação laboral destes trabalhadores e de os enquadrar", afirma a deputada, que admite que as mudanças nunca serão feitas na atual legislatura.

Além do projeto de resolução do PS, que pede um estudo ao Governo sobre a situação destes trabalhadores, o BE, o PCP e o PEV já tinham avançado com diplomas tendo em vista a regulamentação do trabalho em 'call centers'.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de