A vida de um homem, em fim de vida.

Foi Assim , é um espetáculo dos Artistas Unidos com José Raposo, está no Teatro da Politécnica, em Lisboa, um texto de Jon Fosse.

É a vida, ou a vida é assim, o dramaturgo norueguês Jon Fosse, escreveu esta peça, para um homem no fim da vida, um artista, doente, fala em voz alta, mas também em silêncio. António Simão que encena esta peça, vê aqui o próprio dramaturgo a falar de si próprio.

Mais do que as palavras, são os silêncios, as pausas, as longas pausas, o que é dito sem uma única palavra, esse jogo daquilo que não se diz, e ressoa mais alto.

Jorge Silva Melo queria ter feito esta peça, no fim da vida, em tom irónico, a olhar um tempo de vida, mas aceitar, como o capitulo final. Agora, António Simão e os Artistas Unidos escolheram José Raposo.

No silêncio que enleia as palavras, a escrita, que marca as paragens, o remoer dos sentidos, a morte, a velhice, mas tudo com essa esperança do fim cumprido, Foi Assim.

FOI ASSIM de Jon Fosse Tradução Pedro Porto Fernandes Com José Raposo Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Ponto Sara Barradas / Lídia Muñoz Assistente de encenação Pedro Cruzeiro Encenação António Simão.

Foi Assim, com José Raposo, nos Artistas Unidos, no teatro da Politécnica, em Lisboa, terças e quintas às 19h00 às sextas às 21h00, sábados às 16h00 e também às 21h00. Até 15 de Abril.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de