Câmara do Porto encerra teatros e museus e cancela eventos públicos

A medida segue o plano de contingência para prevenir a propagação do coronavírus.

A Câmara do Porto decidiu encerrar os teatros e museus e mandou cancelar todos os eventos públicos até 3 de abril, seguindo o plano de contingência contra a doença pelo novo coronavírus, anunciou a autarquia.

Em comunicado divulgado esta terça-feira na página oficial da Internet, a Câmara do Porto indica que até ao dia 3 de abril vai cancelar "todos os eventos promovidos pelo município, abertos ou contendo públicos externos ao universo municipal, o que inclui espetáculos em equipamentos municipais como o Teatro Municipal ou a Galeria Municipal".

A Câmara do Porto indica também que mandou encerrar, temporariamente, os museus e bibliotecas municipais, piscinas municipais, o Pavilhão da Água no Parque da Cidade e os centros de educação ambiental.

O cancelamento de atividades desportivas promovidas no âmbito do município em recintos fechados foram igualmente cancelados, bem como a "Missão Férias" e todas as visitas de lazer, turismo ou de âmbito cultural ao edifício dos paços do concelho.

Sobre as escolas, a Câmara do Porto indica que estão a aguardar as determinações da Direção-Geral de Saúde e do Ministério da Educação.

Todas as atividades complementares à ação educativa, como por exemplo visitas de estudo e passeios promovidas pelo município em escolas públicas, estão canceladas.

A Câmara do Porto decidiu manter, por enquanto, em funcionamento feiras e mercados, mas avisa que vão ser reforçadas as ações de formação e prevenção.

A próxima reunião de executivo camarário vai ser privada.

As medidas internas em vigor na Câmara do Porto, no âmbito do plano de contingência aplicado desde o dia 2 de março, vão ser reforçadas".

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos.

Dados da Direção Geral de Saúde indicam que Portugal registava até esta madrugada 39 casos confirmados de infeção e um total de 339 casos suspeitos desde o início da epidemia, 67 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte. Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no norte do país, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

O Governo português decidiu suspender todos os voos com destino ou origem nas zonas mais afetadas em Itália, recomendando também a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5.000 pessoas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de