João Barradas, acordeonista
Música

Canção Triste: a viagem sonora de João Barradas

"Uma descoberta para continuar ", as notas de João Barradas revelam o espanto do acordeonista, perante os sons da música composta pelo maestro Francisco de Lacerda.

O músico confessa que nada conhecia sobre o universo deste compositor açoriano, nascido na ilha de São Jorge, mais precisamente na Fajã da Fragueira, situada na Ribeira Seca, no concelho da Calheta. Desafiado por Vasco Mendonça, o diretor artístico dos Encontros Sonoros Atlânticos, a recriar uma obra de Francisco de Lacerda, o jovem músico escolhe "quase à primeira" a Canção Triste.

O lugar e a terra hão de embalar o recital no topo da Fajã onde não há eletricidade, e onde só se pode chegar subindo um atalho estreito e inclinado. Entre Bach Piazzola e Keith Jarrett, o acordeonista João Barradas chora a nova versão da Canção Triste: "Espero conseguir um ambiente especial, ainda por cima numa peça com esse ar melancólico, triste e que traz muita paz."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de