Curador da Coleção de Arte do Estado David Santos pede para deixar cargo

David Santos solicitou a exoneração das suas funções como curador da CACE "com efeitos a 11 de abril último".

O curador da Coleção de Arte Contemporânea do Estado (CACE), o historiador David Santos, pediu a exoneração das suas funções "evocando motivos de ordem pessoal", anunciou esta terça-feira o Ministério da Cultura.

De acordo com comunicado do ministério, David Santos solicitou a exoneração das suas funções como curador da CACE "com efeitos a 11 de abril último".

Segundo a nota de imprensa, "oportunamente será anunciado o novo responsável pela curadoria" da coleção, cuja gestão, inventário e circulação decorre sob responsabilidade da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC).

"Agradece-se publicamente o valioso contributo prestado, pelo profissionalismo e dedicação com que exerceu o cargo", referiu ainda o Ministério da Cultura.

David Santos tinha iniciado funções em março de 2020, depois de ter deixado o cargo de subdiretor-geral do Património Cultural, que ocupava desde 2016, na anterior tutela da Cultura.

Anteriormente conhecida por Coleção de Arte da Secretaria de Estado da Cultura ("Coleção SEC"), conta atualmente com cerca de 1.400 peças.

A missão de David Santos era apresentar uma proposta para a sua programação e circulação, trabalhando estreitamente com a Comissão para a Aquisição de Arte Contemporânea.

Após quase duas décadas de interrupção, a política de aquisições de arte contemporânea do Estado foi retomada em 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de