Curta-metragem produzida por universidade portuguesa vence Urso de Ouro em Berlim

Filme da realizadora moldava Olga Lucovnicova recebeu prémio no Festival de Cinema de Berlim.

O filme "Nanu Tudor", da realizadora moldava Olga Lucovnicova, coproduzido pela Universidade Lusófona, venceu o Urso de Ouro de melhor curta-metragem do Festival de Cinema de Berlim.

"Nanu Tudor" ("O meu tio Tudor", em tradução livre) é um documentário de vinte minutos produzido no contexto académico do programa europeu de mestrado DocNomads, do qual Portugal faz parte, através da Universidade Lusófona, juntamente com a Hungria e a Bélgica.

O filme, que teve estreia mundial esta semana no festival de Berlim, arrecada o prémio principal da competição de curtas-metragens, com o júri a sublinhar a coragem e a mestria com que a realizadora Olga Lucovnicova filmou "a complexidade de um trauma de infância".

Olga Lucovnicova nasceu em 1991, na Moldávia, onde estudou cinema. Recebeu depois uma bolsa de estudo para o programa de mestrado em documentário DocNomads, parceria entre Bélgica, Hungria e Portugal.

A realizadora é autora de outras quatro curtas-metragens, que conjugam "um estilo puramente observacional com elementos poéticos, focados nas emoções humanas", lê-se na biografia apresentada pela Berlinale.

Na competição de curtas-metragens do festival de Berlim estava também o filme "Luz de Presença", do realizador Diogo Costa Amarante.

O realizador português voltava, assim, a ter uma obra em competição na Berlinale, quatro anos depois de ter recebido o Urso de Ouro de melhor curta-metragem por "Cidade Pequena", em 2017.

O 71.º festival de cinema de Berlim decorre esta semana, em modo virtual, com a programação a ser desvendada apenas a profissionais, estando as sessões com público adiadas para junho, por causa da pandemia de Covid-19.

A segunda parte do festival, com a programação oficial a ser exibida em sala e com público, está marcada para entre 9 e 20 de junho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de