"É bem mais interessante para o país um debate do que alguma vez será o stand-up"

A campanha eleitoral começa no domingo. "Depois do Medo", com Bruno Nogueira, é um outro filme, que reaviva a noite de lotação esgotada na Altice Arena. As sessões estão marcadas para 14, 15 e 16 de janeiro, de sexta-feira a domingo.

"Foi uma noite muito feliz." Bruno Nogueira, hoje "mais livre e mais seguro", pode gabar-se de já ter feito comédia ao vivo para uma plateia de 14 mil pessoas. Foi deste serão, num palco com a dimensão da Altice Arena, que se fez filme. "Depois do Medo", o ​​​​espetáculo que encerrou a digressão de Bruno Nogueira pelo país, pode ser visto nos cinemas a partir de sexta-feira e até domingo.

A 14 de fevereiro de 2020, poucos dias antes de o país registar os primeiros casos de Covid-19, Bruno Nogueira falava para lá do medo. "É muito estranho, porque é uma Altice Arena com 14 mil pessoas sem máscara. Aquilo foi mais ou menos 15 dias, três semanas antes de haver o primeiro caso de Covid em Portugal, e portanto é assim uma espécie de ficção científica."

"É um espetáculo que me orgulho muito de ter feito, e sinto, como aquele foi o último espetáculo e esteve a rodar durante um ano pelo país inteiro, estava mais apurado e mais afinado", revela, em entrevista à TSF. O comediante garante que nunca vai esquecer a experiência e o carinho do público: "Havia muita gente que vinha, não só de fora de Lisboa, como vinha de fora do país. Tinha um lado muito comovente porque eu não tenho assim memória de muitas pessoas pelas quais eu esteja disposto a fazer uma viagem para assistir a um espetáculo. É muito desarmante, é impossível ficar indiferente ao poder de 14 mil pessoas à nossa frente, e que estão dispostas a rir."

Esperou pelo fracasso mas viu o espetáculo culminar na lotação esgotada. "Já tínhamos feito em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II. Isso já tinha sido um grande feito para nós, equipa, porque nunca tinha havido um espetáculo de stand-up no Teatro Nacional."

No final da tour, era expectável, assume, que enchesse um coliseu, mas a agente do humorista atirou para um objetivo mais alto. "Cheguei lá e assustou-me muito a dimensão daquilo. Confiava mais no fracasso do que no sucesso, e a minha produtora é que apostou comigo uma aposta a Nova Iorque se corresse bem, ou seja, ela tinha a confiança que eu nunca tive, naquele tempo todo. E, pronto, fiquei a dever-lhe uma viagem a Nova Iorque..."

"Gostarem de nós enquanto comediantes é assim uma coisa vaga, e, com as redes sociais, são mais números, é mais vago, e, de repente, ter ali uma amostra dessas pessoas é muito reconfortante", reconhece. Bruno Nogueira ainda tem lampejos dessa noite. "Consegui imaginar o que possa sentir uma banda com tanta gente à frente. Catorze mil pessoas é assim impressionante..."

"Depois do Medo" tem estreia marcada para esta sexta-feira. Não é por piada que calha no dia seguinte ao debate entre Rui Rio e António Costa. Trata-se mesmo de pura coincidência. "Para mim é um alívio não ser no mesmo dia, porque acho que é bem mais interessante para o país um debate do que alguma vez será o stand-up", declara o humorista.

"Tenho acompanhado, por várias razões, enquanto cidadão e também por causa do Tubo de Ensaio, e qualquer pessoa que se queira informar e que queira votar sensatamente no final deste mês o mínimo que pode fazer é saber porque vai votar."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de