"Circunstância excecional." Festival literário Escritaria mantém homenagem a Ana Luísa Amaral

É a primeira vez que o festival vai "homenagear um escritor que já não está entre nós".

A organização do festival literário Escritaria acaba de decidir que vai manter a homenagem à poeta Ana Luísa Amaral. Esta é a primeira vez que o festival decide homenagear um escritor falecido.

A decisão foi confirmada à TSF pelo presidente da Câmara de Penafiel, Antonino Sousa. "Pela primeira vez, vamos homenagear um escritor que já não está entre nós", disse.

O autarca salienta que nas 14 edições do festival sempre foram prestadas homenagens a escritores em vida, mas, dada a "circunstância verdadeiramente excecional", perante a "triste notícia", a organização reuniu-se e decidiu, de forma unânime, manter a homenagem na edição deste ano, que acontece em Penafiel em outubro.

"São circunstâncias, de facto, especiais, tristes e lamentáveis, mas, no festival vamos procurar que a homenagem seja ainda mais intensa porque mais emotiva vai ser, seguramente".

Antonino Sousa recorda à TSF que a escritora ficou "feliz" quando recebeu o convite para ser a escritora homenageada na edição deste ano. "Daí em diante, fomos sempre fazendo e partilhando aquilo que estava a acontecer em termos de preparativos", conta.

O autarca diz que o estado de saúde "frágil" de Ana Luísa Amaral era conhecido, mas prevaleceu sempre a "esperança de que fosse estar" no festival. Aliás, a "alegria" que a escritora manifestou pelo facto de ser homenageada foi, para a organização, um "sinal" de que iria "superar a circunstância adversa" que estava a viver. "Infelizmente, não foi assim".

Ana Luísa Amaral morreu na noite passada, aos 66 anos, vítima de doença prolongada, revelou a Universidade do Porto.

A Universidade recorda Ana Luísa Amaral, recentemente galardoada com o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana, como "uma autora extraordinária, uma académica distinta e uma cidadã empenhada".

"A sua obra literária irá certamente garantir que o nome de Ana Luísa Amaral perdurará para todo o sempre, mas quem teve o privilégio de a conhecer de perto terá a memória de uma pessoa generosa e uma ativista dedicada às causas da igualdade e da solidariedade social", sublinha António de Sousa Pereira, citado pelo site associado à Universidade.

Distinguida com vários prémios literários nacionais e internacionais, Ana Luísa Amaral nasceu em Lisboa em 1956, mas cedo adotou o Porto e Leça da Palmeira, em Matosinhos, como residência.

A 28 de julho foi anunciado que a Feira do Livro do Porto, que decorrerá entre 26 de agosto e 11 de setembro, nos Jardins do Palácio de Cristal, vai celebrar a poeta e tradutora Ana Luísa Amaral, e terá como mote "Imaginar e Agir".

A RTP adianta que a cerimónia fúnebre está marcada para domingo no Tanatório de Matosinhos e que o velório se realiza este sábado, a partir das 17h00, na Capela do Corpo Santo, em Leça da Palmeira.

*Com Melissa Lopes

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de