festival bons sons

"Morada": o código postal de Afonso Cabral é a língua portuguesa

Afonso Cabral sente-se "a flutuar". Minutos depois de descer o palco Amália, no Bons Sons, onde acaba de apresentar o seu primeiro álbum a solo e em português, o artista ainda não percebeu bem "o que acabou de acontecer".

"Ouvi pessoas a cantar canções minhas de um disco que eu fiz há pouquíssimo tempo. Isso é surreal", começa por contar entre respirações profundas.

O receio de o álbum "ficar feio e de ninguém gostar" não foi suficiente para travar o vocalista de "You Can't Win, Charlie Brown". Afonso Cabral encontrou a sua "Morada" - o título do disco que acaba de lançar - na língua portuguesa.

"Só no fim, depois de ouvir tudo o que tinha feito, percebi que era um disco em que muitas das canções falavam sobre coisas que me são muito próximas, do quotidiano e da vida em família. Cantar em português levou-me a escrever coisas mais íntimas do que eu gosto e do que estou habituado", confessa.

Escrever em português é, para o músico, "um processo complicado", quer pelas diferenças entre a língua portuguesa e a língua inglesa - "a métrica, a forma de cantar" -, quer pela forma como a mensagem é percebida quando cantada na língua materna.

"Quando canto em inglês, por muito que tenha tido trabalho a escrever o que escrevi, as pessoas não estão muito atentas ao que está ali a ser dito. Agora, em português, toda a gente está super atenta a cada palavra, ao que estás a dizer e como o estás a dizer. Parece que quase não ouvem a música."

Apesar de só agora lançar um projeto em nome próprio, Afonso Cabral já se tinha aventurado a escrever em português para outros artistas como Cristina Branco e Joana Barra Vaz. A música que escreveu com Francisca Cortesão "Anda estragar-me os planos" foi finalista do Festival da Canção em 2018.

"Gosto de ser desafiado a escrever para pessoas que cantam um bocadinho fora da minha área de conforto, porque obriga-me a pensar as canções de outra forma."

Sem avançar nomes, Afonso Cabral admite que gostaria de continuar a pôr palavras dele na boca dos outros e de subir a palco com vários artistas portugueses: "Se pudesse estava sempre no palco nos concertos dos meus amigos todos."

O concerto de apresentação de "Morada" está marcado para 30 de novembro no Centro Cultural de Belém.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de