Rui Reininho levou poesia e um gongo aos festivaleiros de Coura

GNR nunca atuaram no festival mas Reininho gostava. Cantor levou uma braçada de livros e o gongo que lhe "salvou a vida"

O vocalista dos GNR, Rui Reininho, foi ao Vodafone Paredes de Coura não para cantar mas para declamar poesia, no âmbito do Vozes da Escrita, sessões de leitura que acontecem ao início da tarde na praia fluvial do Taboão.

O cantor escolheu poesia relacionada com amor, sexo e rock and roll, os "temas prementes que me fazem mexer há muito tempo". Reininho confessou que "agora já não sou assim tão festivaleiro" mas disse sentir-se bem no ambiente do Vodafone Paredes de Coura.

Reininho esteve em palco e o baixista Jorge Romão na plateia do Vozes da Escrita mas os GNR nunca atuaram no Festival Paredes de Coura. "É um dos poucos espetáculos a que não comparecemos. Se calhar somos demasiado alternativos", ironiza o vocalista da banda.

Rui Reininho não vai perder o concerto dos New Order, esta noite, sem esquecer que é no sábado que atua Patti Smith: "É uma das grandes mestres do meu trabalho", disse, recordando a peça "Cowboy Mouth" que a poetisa e cantora norte americana escreveu com Sam Sheppard e que "uns anos mais tarde viemos a musicá-la com o grande Virgílio Castelo como protagonista".

Além dos livros, para o palco na relva que partilhou com a radialista Inês Meneses o cantor dos GNR levou também um gongo, que fez soar pelo recinto. "Os gongos são companhias muito interessantes. Das mortes que eu já morri estas criaturas salvaram-me, pelo menos, uma vez e meia", confidenciou à plateia. Mais tarde, explicou à TSF que faz "terapia pelo som há muitos anos", com recurso a "gongos de limpeza. A vibração que o meu gongo sentiu é que este sítio ainda não precisa de limpeza. Vejo cabeças muito abertas. Gosto muito desta energia".

As sessões de leitura Vozes da Escrita regressam amanhã ao festival de Paredes de Coura com a cantora Márcia e o escritor Valter Hugo Mãe.

Neste segundo dia do Vodafone Paredes de Coura com os New Order (22h50) como cabeça de cartaz e Capitão Fausto (01h00) a fechar o palco principal.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de