Lisboa vai ter "o melhor museu internacional na Península Ibérica" dedicado à arte moderna e contemporânea

O historiador de arte, Pedro Lapa, revela à TSF a importância de juntar a coleção Berardo à coleção Elipse.

Para o professor Pedro Lapa, antigo diretor do Museu do Chiado, é importante o Estado preservar no interesse público as duas coleções de arte (Berardo e Elipse) porque "a sua reunião vai permitir criar seguramente o melhor museu internacional na península ibérica" dedicado à arte moderna e contemporânea.

De acordo com o académico, "isto é particularmente feliz para um país que durante muitos anos esteve na cauda da Europa, ou para lá da cauda da Europa" neste domínio das artes plásticas.

Pedro Lapa sublinha, "ainda que em Madrid exista o museu Rainha Sofia onde se pode ver o Guernica de Picasso, fora esse caso, como panorama de toda a história da arte do século XX e do princípio do século XXI, um museu que reúna estas duas coleções será, sem dúvida, um museu de referência em todo o mundo".

Quanto à coleção Berardo, ela "foi uma coleção que alterou o panorama das coleções e museológico a nível nacional. É a primeira grande coleção internacional de arte moderna que apareceu em Portugal e que felizmente está exposta ao público", adianta Pedro Lapa.

"Portugal durante todo o século XX nunca construiu um museu internacional. A coleção Berardo é uma coleção única e uma das grandes coleções de arte moderna em todo o mundo onde encontramos os grandes nomes: Picasso, Duchamp, Miró, Vieira da Silva, Andy Warhol, todos os grandes nomes e com grandes obras que foram criteriosamente selecionadas dentro dos melhores períodos de produção artística dos respetivos autores de forma a criar um quadro relevante e significativo da história da arte moderna", destaca.

Por outro lado o "Museu no Centro Cultural de Belém tem permitido o acesso de muitas escolas à arte moderna".

Já "a coleção Elipse é também uma grande coleção internacional que se situa na continuidade da coleção Berardo, em termos cronológicos. Se a coleção Berardo é representativa dos desenvolvimentos artríticos internacionais até à década de 80 do século XX, a coleção Elipse tem inicia-se aí e representa a transição do século XX para o século XXI".

A Elipse "é uma coleção que se extinguiu em 2008, que foi o último ano de aquisição de obras, mas é uma coleção muito ampla que contempla cerca de 900 obras dos maiores artistas internacionais", conclui Pedro Lapa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de