Marcelo recorda Julião Sarmento como "uma presença ímpar no nosso tempo"

O artista plástico morreu esta terça-feira, aos 72 anos.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou as condolências à família de Julião Sarmento, que classificou como "um dos mais talentosos, produtivos e generosos artistas portugueses das últimas décadas".

Numa declaração publicada na página oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa recordou o percurso de Julião Sarmento, sublinhando que contribuiu para "a reconfiguração das práticas artísticas em Portugal" e que se tornou no "mais internacional dos artistas portugueses".

"Também se notabilizou como coleccionador e curador, deixando um importante acervo que emprestou à cidade de Lisboa e será exposto em breve", notou.

O chefe de Estado afirma que o artista será recordado pela "modernidade provocante das sucessivas séries", pelo "alinhamento com o novo e o vibrante" e pela "presença ímpar no nosso tempo e no nosso imaginário, que nos ajudou a ser deste tempo e a imaginá-lo".

Julião Sarmento morreu, esta terça-feira, aos 72 anos. O pintor e artista plástico foi vítima de cancro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de